Cantora Paulinha Abelha
Reprodução/Instgram
Cantora Paulinha Abelha


A cantora Paulinha Abelha não será substituída na banda Calcinha Preta. O anúncio foi compartilhado no perfil oficial de Bell Oliver, cantor do grupo. "A banda segue com Daniel Diau, Silvania Aquino e Bell Oliver", diz o texto compartilhado junto com uma foto dos três. Nesta quinta-feira haverá uma segunda missa em homenagem à cantora, morta aos 43 anos. A celebração será em Aracaju, Sergipe.


Paulinha morreu no dia 23 de fevereiro, após ficar 12 dias internada. Ela foi hospitalizada com um quadro de insuficiência renal que se desdobrou em um problema sistêmico e a levou à morte. Os médicos seguem investigando o que causou os problemas apresentados pela artista

Alguns resultados ainda estão sendo esperados para se fechar um diagnóstico, mas a existência de um comprometimento renal anterior pelo uso abusivo de remédios e chás para emagrecer, além de diuréticos, está no topo da lista.

Segundo fontes próximas à equipe, os médicos ficaram muito impressionados com a rapidez com que o quadro de saúde da cantora da banda Calcinha Preta foi piorando. "Eles disseram que nunca viram nada igual", contou um funcionário do hospital, que acompanhou o esforço dos médicos para manter a cantora viva. "A situação dela é um dia de cada vez. Nosso interesse é mantê-la viva, e não tem sido uma missão fácil. O nosso compromisso é de manutenção da vida", disse o neurologista Marcos Aurélio Alves na coletiva concedida na véspera da morte de Paulinha.

A vocalista da banda de forró foi internada com enjoo, vômito e dor na hora de urinar. O quadro foi tratado como problema renal. Depois ela teve uma inflamação no fígado que, posteriormente, atingiu a membrana que reveste o cérebro, o que é denominado pelos médicos como encefalite. Isso a levou a um estado de coma grau 3 na escala de Glasgow, o que significa quadro neurológico grave.

Leia Também

Paulinha teve que fazer diálise para filtrar o sangue e eliminar toxinas do organismo. Segundo nota do hospital, ela morreu "em decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico".

Artista começou a cantar aos 12 anos

Paula de Menezes Nascimento Leça Viana está no Calcinha Preta desde 1998, quando entrou por indicação de Daniel Diau, cantor que havia ingressado recentemente na banda. Nascida em Simão Dias, pequena cidade de pouco mais de 40 mil habitantes do interior de Sergipe, ela começou a cantar aos 12 anos em trios elétricos. Ainda jovem, fez parte das bandas Flor de Mel e Panela de Barro, mas precisou interromper a carreira por dificuldades financeiras.

Com o Calcinha Preta, Paulinha participou de gravações de sucesso, como "Louca por ti", "Ainda te amo", "Baby doll" e "Liga pra mim", em mais de 20 álbuns gravados com o grupo. Também ficaram marcadas as idas e vindas de Paulinha Abelha na banda. Sua primeira saída foi em 2010, quando trocou o grupo pelo GDO do Forró, mas voltou meses depois.

No mesmo ano, ela arriscou um projeto ao lado de Marlus Viana, seu marido à época, que acabou não dando certo, o que fez com que ela retornasse ao Calcinha Preta. Paulinha saiu do grupo em outras duas oportunidades, em 2016, mas voltou em 2018, permanecendo desde então.

Entre no  canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários