Paulinha Abelha morreu nesta quarta-feira (23)
Reprodução/Instagram
Paulinha Abelha morreu nesta quarta-feira (23)

Morreu nesta quarta-feira (23) a cantora Paulinha Abelha, vocalista do grupo de forró Calcinha Preta. Ela estava internada em um hospital em Aracaju, capital do Sergipe, em coma profundo na Unidade de Terapia Intensiva da unidade de saúde. A cantora ficou internada duas semanas no hospital, tratando de um problema renal que gerou danos neurológicos. 

Em nota, o Hospital Primavera comunicou que a cantora faleceu às 19h26 em decorrência de "um quadro de comprometimento multissistêmico". "Nas últimas 24 horas apresentou importante agravamento de lesões neurológicas, constatadas em ressonância magnética, e associada a coma profundo", diz a nota. 

"Foi então iniciado protocolo diagnóstico de morte encefálica, que confirmou hipótese após exames clínicos e complementar específicos. Ela estava internada no Hospital Primavera desde o dia 17 de fevereiro, sob os cuidados das equipes médicas de terapia intensiva, neurologia e infectologia", completa a nota. Nas redes sociais, fãs do grupo Calcinha Preta e da cantora lamentaram a morte relembrando os sucessos da cantora ao lado da banda:

$


$
$
$
$
$
$






Leia Também

$

Na última quinta-feira (17), a assessoria da cantora falou sobre o estado clínico de Paulinha. "O hospital da Unimed Sergipe, informa que a paciente Paula de Menezes Nascimento Leca Viana, evoluiu com piora clínica nas últimas 12 horas e encontra-se em coma", diz a nota, que afirmava que ela seria transferida de hospital. 

"Mas, por instabilidade neurológica não reúne condições clínicas seguras para realizar a transferência no momento", completa a nota. Já durante coletiva de imprensa nesta terça-feira (22), médicos apontaram que a cantora estava em "coma profundo".

"Ela está em coma profundo, mas em nenhum momento falamos de morte encefálica. Ela está coma e não morta, isso é uma condição potencialmente reversível. O prognóstico, como ela vai conseguir estabilizar essa parte neurológica, vamos ter que analisar", disse na ocasião o neurologista Marcos Aurélio Alves.

"Coma é uma condição reversível. Em nenhum momento falamos em morte cerebral. Existe o coma profundo, que traduz uma injúria encefálica severa, mas não existe o conceito de irreversibilidade ainda", completou.

Ainda na coletiva, médicos desmentiram que Paulinha Abelha estaria com uma bactéria no cérebro. "Ela não tem nenhuma bactéria, isso é fake. Ela tem uma encefalopatia severa, que é um dano real, tem um dano hepático e por último um dano cerebral", afirmouu o médico e diretor técnico Ricardo Leite.

Os profissionais completaram destacando: "Pesou muito ter visto em meio de imprensa a afirmação de que ela sofria uma meningite bacterina. Criou-se um problema de saúde pública. Criou-se um conflito com as pessoas que viajavam no avião com ela, no apoio da banda para ver se tinha uma bactéria na cabeça. Pediria para a imprensa usar como fonte aquilo que é colocado oficialmente".

Com 43 anos, Paulinha entrou na banda em 1998. Ela saiu da Calcinha Preta duas vezes para focar em outros projetos, mas retornou e desde 2018 integrou o grupo de forró.





** Luiza Lemos é jornalista, especializada na cobertura de entretenimento e celebridades. No iG desde 2020, escreve para o iG Gente, mas já passou pelas editorias de Delas, Queer, Receitas e Turismo. Da praia para a serra, é de Santos e formada na Universidade Metodista de São Paulo. Além de escrever, é sommelier de memes, adora televisão e não deixa uma boa fofoca deixar de ser comentada.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários