Leda Nagle
Reprodução YouTube
Leda Nagle

Ao falar sobre o caso de estupro de Mariana Ferrer, na quinta-feira (05), Leda Nagle comparou a demissão de Rodrigo Constantino com a Ditura Militar (1964-1985). A declaração da jornalista ainda foi considerada uma indireta para Vera Magalhães, que horas antes tinha criticado o ex-colega de emissora.

"Antigamente, quem pedia a cabeça de um jornalista era um militar, da equipe da ditadura. Depois, os donos de jornal, os poderosos, o ministro das Comunicações, amigo do dono do jornal, pedia a cabeça de um repórter. Agora não! Agora é uma repórter que pede a cabeça de um cara que ela detesta, que é um jornalista como ela!", deliberou Duda Nagle.

"Eu não vou dizer nomes porque não quero ser processada e me meter nessa encrenca. Mas é uma jornalista que pede a cabeça de outro jornalista porque ela não gosta dele. E ela se aproveita de um equívoco. Ela pega a live dele, capta ou edita um trecho, diz que aquilo tá errado, lidera uma campanha contra o cara e fica toda feliz quando o sujeito é demitido", pontuou. 

Apesar de não ter citado nomes, os internautas interpretaram as falas de Leda como indiretas a Vera Magalhães. Isso porque a apresentadora do Roda Viva, da TV Cultura, criticou Constantino por suas declarações polêmicas sobre Mariana Ferrer.

Antes de Constantino ser demitido, a apresentadora do Roda Viva usou suas redes sociais para chamar a atenção da rádio sobre as falas de seu ex-funcionário. "Colegas e amigos da Jovem Pan News: há um limite ético e civilizatório até o qual se pode chegar. Apologia ao estupro ultrapassa em muito esses limites. Ou vocês reagem a isso de maneira clara, ou serão sempre confundidos com essa escória moral, esse lixo humano. Não há escolha", escreveu a apresentadora. Confira os tuítes.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários