A estilista Gloria Coelho , um forte nome da moda no Brasil, foi acusada de racismo por ser contra a cota de modelos negras nos desfiles da São Paulo Fashion Week. Além disso, ela e o ex-marido, Reinaldo Lourenço, também já teriam feito muitas meninas chorarem após desmerecê-las nos castings. Com a repercussão negativa, ela resolveu enviar um comunicado a Veja .

Leia também: Convidada critica CNN, ao vivo, por ter Waack falando de racismo

Gloria Coelho
Reprodução/Youtube
Gloria Coelho pediu desculpas por atitude considerada racista


Leia também: Glória Maria relembra episódio de racismo: "Vivi desde sempre"

“Sinto muitíssimo que qualquer menina tenha se sentido desprivilegiada ou sem acesso às mesmas oportunidades dentro da minha marca e do sistema de moda. Reconheço que por séculos a moda privilegiou padrões de beleza eurocentristas, e que eu ou pessoas da minha equipe no passado possamos ter compactuados com isso, ou sido interpretados dessa forma. Estou aqui me comprometendo a ser melhor, a garantir que minha equipe seja melhor. Está nas nossas mãos desmantelar o racismo sistêmico”, declarou Gloria Coelho em parte do comunicado.

Leia também: 8 produções nacionais e internacionais para entender mais sobre o racismo

Em outro trecho, a estilista disse que tem uma “genuína e profunda admiração pela beleza, criatividade e ancestralidade afrodescendentes e indígena” e prometeu mudança. “Estou comprometida em ouvir, me educar, educar aos que me rodeiam, e incluir mais criatividade e diversidade em minha marca. Estou ouvindo todas vocês, e quero que tenhamos este canal aberto para fortalecermos essa luta e traçarmos um novo caminho, mais justo e inspirador, para a moda brasileira.”

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários