Conhecida por sua atuação em "Malhação - Casa Cheia", de 2013, e por fazer " Power Rangers" , a atriz brasileira  Chrysti Ane Lopes se envolveu em uma polêmica nos Estados Unidos, onde vive atualmente. Internautas descobriram tuítes antigos em que ela se referia de forma pejorativa aos negros.

Leia também: 8 produções nacionais e internacionais para entender mais sobre o racismo

Chrysti Ane Lopes em
Reprodução/Globo
Chrysti Ane Lopes em "Malhação"


Leia também: Gizelly faz texto contra racismo e seguidores lembram falas sobre Babu

Nas mensagens publicadas em 2011, Chrysti usava várias vezes a palavra " nigger ", um termo considerado ofensivo em inglês e que costuma ser aceito apenas quando utilizado por negros. A atriz passou a ser atacada na internet e pediu desculpas publicamente e disse que atualmente é uma pessoa diferente.

"Minha família e eu fomos acusados de sermos racistas nos últimos dias, e eu acho que passou da hora de eu dizer algumas coisas. Tudo começou quando um dos seguidores do meu parceiro desenterrou alguns tuítes meus de 2011 (nove anos atrás) que usavam a palavra com 'N'. Eu não vou justificar o uso da palavra, mas vou me explicar. Na época, eu namorava um homem de origem afro-americana e comecei a mergulhar fundo na cultura. Fiz muitos amigos negros, escutei músicas que usavam essas gírias, vi comediantes negros que usavam a palavra livremente. E eu me senti acolhida pela comunidade.

Na época, nenhum dos meus amigos achava isso ofensivo, mas eu devo dizer que não entendia completamente o peso dessa palavra. Eu não entendia a história, as lutas, a opressão. Eu era uma menina de 16 anos, no colégio, tentando encontrar o meu lugar e descobrir quem eu era. Eu agora sou uma mulher com minha família, um filho, e um parceiro. Eu não sou a mesma menina de quase dez anos atrás. Encorajo vocês a olharem para trás e verem quem vocês eram há nove anos. Pensem: 'Eu sou a mesma pessoa?'. Dito isso, esse é meu pedido de desculpas formal por aqueles tuítes e a quem eles ofenderam. Devemos ser responsabilizados pelo que dissemos e fazemos, e eu fico feliz por terem me chamado a atenção. Agora posso mostrar que aquela menina de 16 anos não é a mulher que eu sou hoje.

Leia também: Âncora da CNN Brasil chora ao vivo em entrevista sobre racismo

Eu posso dizer que amadureci imensamente. Meu respeito pela comunidade negra é gigante. Tudo o que eles suportaram, tudo o que superaram, e o que continuam a viver todos os dias abriu meus olhos e o meu coração. Eu vou usar minha plataforma, como já tenho feito, para fazer o bem. Eu doei, tuitei links, falei o que pensava sobre o assunto. Eu me ergui pela comunidade negra e continuarei a fazê-lo.

Eu quero usar minha voz para o bem. Quero ajudar. Quero fazer o meu melhor para que a comunidade negra seja ouvida e respeitada. Vamos fazer parte de uma solução e criar mudança de verdade nesse país para que todos possam vivenciar o que os Estados Unidos deveriam significar."


    Veja Também

      Mostrar mais