As filhas gêmeas de Gugu Liberato, Marina e Sofia  foram à Justiça acusar a tia, Aparecida Liberato, de não prestar contas como curadora do patrimônio do apresentador. As informações são da colunista da Folha Mônica Bergamo.

Leia também: Ex de Gugu, Alessandra Scatena se pronuncia sobre nova polêmica

Gugu e os filhos
Reprodução/Instagram
Os filhos de Gugu Liberato continuam mantendo contato com quem era próximo ao apresentador


As meninas pedem que Aparecida  mostre as informações sobre seguros de vida e previdências privadas "e outros títulos com resgate automático em caso de óbito" em nome de Gugu . Além disso, elas também exigem que a tia "preste contas e esclareça o destino e quem está na guarda dos bens e valores que guarneciam as residências do de cujus [Gugu Liberato], notadamente as obras de arte e quadros valiosos, coleção de relógios, joias, pedras preciosas, ouro, cofres e dinheiro em espécie nos imóveis e escritórios situados no Brasil".

Leia também: Suposto namorado de Gugu fala sobre relacionamento: "Não vivíamos escondidos"

No relato feito pelas filhas de Gugu na petição à Justiça , elas disseram que "permanece um mistério o destino dado aos bens que guarneciam a residência" de Gugu em São Paulo, inclusive "dinheiro em espécie guardados ali mas que já não mais estavam quando os três filhos chegaram ao Brasil para o velório, acompanhados da genitora Rose [Di Matteo, mãe das jovens].

Marina e Sofia querem ainda que a tia preste contas de sua gestão, a respeito dos valores geridos e gastos pelo e em nome do Espólio, "incluindo os valores e recursos auferidos" com aluguéis de imóveis, distribuição de lucros, prêmios e dividendos das empresas de Gugu.

Segundo Mônica Bergamo, o relato das meninas mostra que há divergências até para a compra de carros para elas, pedido que não foi encaminhado por Aparecida. Segundo o documento, a tia teria se auto-nomeado gestora das empresas de Gugu, sem ter autorização para isso.

Leia também: Com herança bilionária, filhos de Gugu Liberato excluem mãe de seguro

A assessoria de Aparecida Liberato, no entanto, afirma que quem constituiu a nova advogada das sobrinhas, Viviane Ricci, foi Rose Miriam Di Matteo, e que as filhas foram influenciadas a assinar a contratação solidariamente.

A assessoria de Aparecida diz também que Viviane é amiga pessoal e testemunha de Rose no processo que ela move na Justiça, pedindo reconhecimento de união estável com Gugu . Nelson Willians, advogado de Rose Miriam , não se manifestou sofre o caso, mas afirma entender que a atitude de Marina e Sofia é “perfeitamente legítima”.

Aparecida Liberato se tornou curadora do patrimônio de Gugu por vontade do próprio apresentador, conforme o revelado na ocasião da leitura do seu testamento. Dessa forma, a numeróloga tem a tarefa de administrar os bens das sobrinhas, que têm 16 anos, até que elas atinjam a maioridade. 

    Veja Também

      Mostrar mais