Tamanho do texto

O jovem resolveu expor o caso nas redes sociais e demonstrou indignação

O ator JP Rufino, conhecido por atuar desde criança nas novelas da Globo , resolveu expor um ataque racista que sofreu nas redes sociais. Atualmente com 17 anos, o jovem publicou o print de um comentário feito por um seguidor que diz o seguinte: “Moleque babaca bancando a vítima! Vai estudar e tosar esse cabelo horrível! Para de falar de racismo seu trouxa! É assim que começa a mudança!”.

Leia também: Silvio Santos é acusado de racismo após constranger mulher negra

JP Rufino arrow-options
Reprodução/Instagram/@jprufino1
JP Rufino sofreu ataque racista nas redes sociais e se posicionou


Indignado, JP Rufino resolveu se posicionar. “Falo sim...e mostro sim! Sabe por quê? Pra lutar por uma mudança de seres sem noção! Pra tentar conter tanto ódio e agressão! Pra resgatar os valores...o RESPEITO (que é bom, eu gosto e inclusive pratico). Pra fazer entender que seres como você...tem muito o que aprender!”, escreveu o ator.

Leia também: Blogueira é acusada de racismo ao falar que estava suja por encostar em preto

Ele ainda acrescentou: “PS: O ‘Moleque’ em questão ESTUDA, Trabalha (tem carteira assinada) o que deveria ocupar seu tempo à fazer. Segue 2020...que pelo jeito que começou e me mostra o quanto precisará de luta”.

JP Rufino expõe mensagem que recebeu no Instagram arrow-options
Reprodução/Instagram/@jprufino1
JP Rufino expõe mensagem que recebeu no Instagram

Diversos seguidores de JP Rufino demonstraram apoio ao ator. “Amado, pessoas horríveis sempre existirão. Eu sinto por você! Sinto por nós! E qual o endereço dele? É importante mostrar não é? E o que ele diz é crime! Já denunciou? Te amo! Feliz 2020 com mais amor”, comentou a cantora Paula Lima.

Leia também: Sul-africana vence Miss Universo em domingo marcado por racismo no Brasil

“Parabéns querido! Exponha mesmo. Racismo é crime e ponto final! Orgulho de você menino talentoso e do bem!”, acrescentou o ator Mouhamed Harfouch. Vários seguidores também fizeram questão de enfatizar que JP Rufino não está sozinho na luta contra o racismo.