Tamanho do texto

Indenização pedida pela atriz foi de R$ 100 mil; à época, a revista masculina divulgou imagens em que Camila aparece nua sem a autorização da mesma

Camila Pitanga venceu o processo que movia contra o grupo Abril pela publicação na revista Playboy , em dezembro de 2012, de três fotos em que ela aparece nua. As imagens foram retiradas de cenas do filme "Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios" e foram publicadas sem a autorização da atriz da Globo .

Leia também: Giullia Buscacio sensualiza e recebe título de "Camila Pitanga da nova geração"

Camila Pitanga arrow-options
Divulgação
Camila Pitanga

O processo durou quase sete anos,  Camila Pitanga pediu uma indenização de R$ 300 mil e o julgamento final foi conduzido pela 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) na última terça-feira (05). Os ministros foram unânimes ao recusarem recurso que tentava anular a decisão de primeira instância, na Justiça do Rio de Janeiro, que condenou a Editora Abril a indenizar a atriz da Globo .

Leia também: Camila Pitanga revela que yoga é sua arma secreta para manter a boa forma

"Estamos muito felizes e comemorando a decisão do STJ, porque foi uma vitória. Só ficamos tristes com a demora do sistema judicial brasileiro na definição do caso, mas infelizmente isso é um praxe", disse Ricardo Brajterman, advogado de Camila , ao site Notícias da TV , sobre o imbróglio envolvendo a Playboy .

Leia também: Camila Pitanga critica normalização do assédio: "Silvio, roupa não é convite"

Além disso, o defensor declarou que a indenização pedida por Camila Pitanga será recalculada Será acrescida uma taxa de 1% ao mês desde a data de abertura do processo até sua conclusão. Os honorários advocatícios também serão acrescidos.