Tamanho do texto

Mauro Sousa desabafou sobre homofobia que sofre e fez apelo pela comunidade LGBT. Nos últimos anos, ele tem sido vocal sobre o tema

O filho de Maurício de Sousa, Mauro Sousa, fez um desabafo no Instagram sobre ser um defensor da comunidade LGBT. Gay assumido e casado com Rafael Piccin, ele sempre fala sobre o tema, abordando o preconceito e como mudar esse cenário.

Leia também: Filho de Mauricio de Souza rebate comentário homofóbico nas redes sociais

mauro sousa arrow-options
Reprodução/Instagram/@maurosousa
Mauro Sousa

Na última quarta-feira (16) não foi diferente e ele decidiu falar sobre os ataques homofóbicos que recebe diariamente: “Há os preconceituosos indiretos, que se disfarçam de bem-intencionados com o discurso do ‘É inadequado’ ou do ‘Não é Natural’, e há os bem diretos, desejando que eu ‘apanhe de arame farpado’. E não há pior, todos são intencionalmente cruéis - essa normalização da hostilidade me assusta demais”, desabafou o filho de Maurício de Sousa.

Leia também: Mauricio de Sousa vê desafios em relembrar jornada: "Ser honesto comigo mesmo"

Mauro Sousa e o marido Leo Piccin arrow-options
Reprodução/Instagram/@maurosousa
Mauro Sousa e o marido Leo Piccin

Mauro Sousa falou ainda que o texto não é sobre ele, mas sim outras pessoas que sofrem ataques similares, mas não tem uma rede de amparo: “Este texto é sobre os milhares de LGBTs por aí que não podem escrever, que sofrem calados, que morrem espancados na sarjeta como se fossem ratos. Se eu, com todo o suporte que tenho, sou atacado e ainda me abalo, imaginem a grande maioria desamparada que não têm ninguém?”, questionou.

Leia também: Maurício de Sousa posa com filho e namorado: "Meu genro"

mauro sousa mauricio de sousa arrow-options
Reprodução/Instagram/@maurosousa
Mauro Sousa com Maurício de Sousa

Por fim, o filho de Maurício de Sousa ainda fez um apelo: “se atentem às pessoas ao redor. Em especial, aos LGBTs ao seu redor. Sejam adultos ou crianças, eles podem estar precisando de um ombro amigo. E todos nós, mais do que nunca, estamos precisando nos dar as mãos e não soltar mais”, concluiu.