Tamanho do texto

Ator já havia sofrido outras acusações. Agora, ex-alunas entraram com processo afirmando que ele pressionava os alunos a realizarem atos de nudez

James Franco está sendo acusado novamente de assédio sexual . Ele teve seu nome envolvido em outras acusações no passado, que vieram à tona após o “Me Too” , e agora sofre um processo de duas ex-alunas.

cena de the deuce arrow-options
Divulgação
James Franco

Sarah Tither-Kaplan e Toni Gaal entraram na justiça contra James Franco na última quinta-feira (03), alegando que ele pressionava os alunos a praticarem atos de nudez e sexo explícito, prometendo papeis em seus filmes independentes.

Leia também: Depois de denúncias de assédio, James Franco é esnobado pelo Oscar 2018

Em seu relato, elas contam que ele cobrava por aulas extras em seu curso de atuação, inclusive de sexo, que ele mesmo ministrava. Toni disse que chegou a ser banida de uma aula por mostrar seu desconforto com a maneira que ele as administrava. Elas ainda dizem que durante as aulas de cenas de sexo, ele removia a proteção dos genitais das mulheres durante simulação de sexo oral. O caso teria acontecido em 2014.

Ao The Hollywood Reporter , o advogado do ator falou que não é a primeira vez que ele sofre acusações do tipo que “já foram desmascaradas”. O jurista ainda disse que o ator pretende se defender no tribunal, além de tomar suas próprias medidas na justiça.

Tither-Kaplan já havia se unido a outras mulheres para denunciá-lo no passado. Ally Sheedy, que atuou com James Franco em uma peça, questionou sua vitória no Globo de Ouro em 2018. Na época, ele se pronunciou dizendo desconhecer as acusações : “Eu não tive nada além de bons momentos com ela. Tenho total respeito por ela e não sei porque ela está chateada”.