Tamanho do texto

"Dizem que pego todas as minhas amigas. Por que temos que sexualizar tudo"?, questionou a atriz. Ela ainda relembrou sua gravidez na adolescência

No ar em "Órfãos da Terra", Emanuelle Araújo abriu o jogo em entrevista ao jornal O Globo , comentando sobre a morte do pai, a gravidez na adolescência e sobre os boatos envolvendo supostos affairs com suas colegas de profissão.

Leia também: "Samantha!" submete protagonista a novos dilemas no segundo ano

Emanuelle Araújo arrow-options
Divulgação/Netflix
Emanuelle Araújo em "Samantha!"


“Dizem que pego todas as minhas amigas. Por que temos que sexualizar tudo? Já disseram que eu namorava a Nanda Costa, parece que pego todas as minhas amigas”, disse Emanuelle Araújo . “A Andréia Horta é minha irmã. Eu tenho preguiça disso. Por que temos que sexualizar tudo, até o afeto? O que importa se é homem, mulher ou poste? Estamos confusos, tem muita coisa acontecendo, as pessoas não querem olhar para os problemas e a bobagem alivia.”, declarou.

“Precisamos debater na mesa de bar sobre o menino que foi chicoteado no supermercado", disse ela, referindo-se ao caso do jovem de 17 anos torturado por furtar chocolate em um mercado de São Paulo.

A atriz ainda relembrou a gravidez, aos 16 anos, dizendo que apoia o aborto, mas que, naquele momento, isso não passou pela sua cabeça."Eu era líder de classe, lutava pelos direitos coletivos. Meu discurso era 'se engravidar, aborto, não tô pronta para isso'. Quando engravidei, não consegui pensar assim nem por um segundo. Era mais discurso do intelecto do que do coração. Mas sou a favor de que a mulher tenha o direito pelo seu próprio corpo”, afirmou.

Leia também: Emanuelle Araújo beija namorado e põe fim em boatos de affair com Andréia Horta

"Meu pai era sertanejo, machista e, quando engravidei, foi um horror, ficou arrasado. A filhinha dele grávida, o que vão dizer? A crise durou dois meses, aí veio acolhimento. Tinha um namorado há dois anos, ficamos juntos por seis. Nos separamos porque era um 'padrão homem baiano nordestino', e eu queria ser livre para viver a minha arte”, disse.

“Mas a maternidade me trouxe um olhar pouco autocentrado. Quando você tem filho, não dá tempo de ter conflito existencial", contou.

Leia também: "Samantha!" é uma série sobre a diferença entre fama e relevância, diz criador

Ainda na entrevista , a atriz de “ Órfãos da Terra ” falou da morte do pai e da tristeza que sentiu. "Meu pai tinha falecido e pensei: 'Isso vai acompanhar este ano. Tô triste e pronto'. Porque a nossa sociedade exige que a gente esteja sempre ok. Sou uma pessoa alegre por natureza, mas esse está sendo o ano mais triste da minha vida”, encerrou Emanuelle Araújo .