Nesta terça-feira (06) foi ao ar mais uma edição de "Morning Show", programa da rádio Jovem Pan . O convidado da vez foi Marcos Mion, apresentador da Record TV .

Leia também: Marcos Mion lamenta expulsão de Nadja: "É algo que choca"

Marcos Mion em encontro com Bolsonaro
Reprodução Instagram
Marcos Mion em encontro com Bolsonaro

Durante a entrevista, Marcos Mion falou sobre o encontro com o presidente da república Jair Bolsonaro (PSL), que aconteceu há três semanas atrás. "Eu fui achando que o governo ia usar a minha imagem para amenizar o 'não' para a comunidade autista, para eu ser um 'porta-voz' das más notícias", iniciou o apresentador da Record TV

Leia também: Mion: "Ninguém me chama mais para jantar porque eu levo a minha comida"

" Bolsonaro olhou para mim e falou: 'Mion, o que você veio fazer aqui?'. 'Vim representar a minha comunidade'. 'O que a comunidade quer?'. Nunca poderia imaginar, mas o presidente jogou a decisão para a minha mão. Eu poderia tomar a decisão que a maioria queria, de não colocar no Censo, colocar na PNAD, e agradar à maioria dos políticos e profissionais que estavam lá, ou eu poderia representar a comunidade autista", prosseguiu ele.

Leia também: Marcos Mion se reúne com Jair Bolsonaro para defender minoria

"Falei: 'Presidente, se você quer realmente pegar essas milhares de famílias no colo e fazer o que a comunidade quer, você vai sancionar essa lei. Deu um silêncio na mesa, porque estávamos há duas conversando e chegado à conclusão de que não ia ser no Censo, mas a comunidade autista queria o Censo. Falei: 'É isso que você tem que fazer'. Ele falou: 'Então tá bom, qual é o próximo assunto?'", continuou.

Em seguida, Marcos Mion disse que seu partido é o autismo, independentemente de ideologia ou do governo, além disso, durante o papo, ele agradeceu a primeira-dama Michelle Bolsonaro: "Se não fosse por ela, nada disso teria acontecido". 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários