Tamanho do texto

Antes de ser criticado por José de Abreu, Felipe Neto já não rebatia críticas que recebia na web. Relembre algumas vezes que ele tomou "chá de sumiço"

Felipe está sempre usa seu Twitter para opinar sobre polêmicas ou para alfinetar alguma personalidade, na maioria das vezes alguém envolvido na política. Na última quinta (25), após opinar sobre a prisão do ex-presidente Lula, o youtuber foi alvo de críticas de internautas e de José de Abreu.

Leia também: Felipe Neto ironiza lesão de Neymar e volta atrás: "Nada a ver a piada"

Felipe Neto sempre dá sua opinião e toma chá de sumiço arrow-options
Divulgação
Felipe Neto sempre dá sua opinião e toma chá de sumiço

Um internauta perguntou se Felipe Neto concordava com a prisão do ex-presidente Lula . Em resposta, ele disse que “concordava com a prisão, mas não achava justa a forma que o processo aconteceu”. O posicionamento despertou a ira de José de Abreu , ator da Globo , que acabou entrando em um debate acalorado com o criador de conteúdo. 

Assuntos como política são pautas constantes no Twitter de Felipe e o público dele vem tem sido cada vez mais receptivo a debater esses assuntos. Antes de ser criticado pelo ator da Globo , o youtuber já criticou Damares, uma empresa que patrocinava a gamer Gabi Catuzzo, opinou sobre a “traição” de Tabata Amaral e entre outros assuntos pra lá de polêmicos.

Apesar de opinar sobre assuntos delicados, Felipe não tem o costume de debatê-los. O youtuber vem ganhando destaque por adotar uma postura "fogo de palha", na qual ele provoca agitos, toma um "chá de sumiço" e acaba por não se aprofundar nas questões. 

Leia também: Não faz sentido? Entenda como Felipe Neto passou de odiado a amado pela web

  • Galera politizada

Felipe Neto critica galera politizada arrow-options
Reprodução/Youtube
Felipe Neto critica galera politizada

Na última sexta (19 ), o youtuber reclamou da direita brasileira e aproveitou o momento para alfinetar alguns representantes do movimento. Algumas dessas pessoas acreditam que existe uma conspiração contra o atual governo e que até os filmes da Disney foram feitos para os esquerdistas.

Por isso, Felipe demonstrou sua indignação ao escrever: “Que triste, essa galera politiza tudo. Assiste um filme da Disney, pensa em Esquerda. Instagram remove likes, pensa em conspiração contra a Direita. Que maneira incrivelmente triste de estar vivo. Deve ser insuportável conviver consigo mesmo”.

É claro que essa declaração rendeu muitas respostas, mais de 7 mil retweets e mais de 40 mil  curtidas. Em resposta, um internauta escreveu: “Imagina essa galera na autoescola: ‘senhor, vira a esquerda’ e o senhor: ‘não, não, tá louco, não sou comunista”.

  • Orgulho de Jesus

Na última quarta (17), Felipe deu sua opinião sobre o comentário da Deputada Carla Zambelli sobre o fim das curtidas no Instagram. “E o Instagram sumiu mesmo com o número de likes. Tudo para a gorda, feminista peluda do cabelo roxo não ficar deprimida ao ver o desempenho da coleguinha na rede. É assim que as redes afundam”, escreveu a deputada em seu Twitter.

O youtuber, no entanto, colocou o tuíte e a descrição do perfil de Carla Zambelli lado a lado e fez algumas observações. “Jesus deve morrer de orgulho dessa mulher. ‘Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes, seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão’”, escreveu Felipe.

Outro apontamento do youtuber foi: “Se a esquerda fosse boa, Jesus não se sentaria à direita do Pai” e logo comentou: “Detalhe para bio da mulher sem neurônios. Se Jesus se senta à direita do Pai, então o Pai senta à esquerda”.

  • Alucinado

A raiva que o Felipe Neto sente pela família Bolsonaro deve ser tão grande, que não caberia nesta matéria. Mas no seu perfil do Twitter, cabem todas as alfinetadas possíveis. Só nos primeiros dias em julho de 2019, ele criticou com Eduardo Bolsonaro mais de duas vezes.

No dia que o filho do presidente Jair Bolsonaro foi indicado como Embaixador dos EUA, o youtuber declarou. “Se for mesmo indicado, Eduardo Bolsonaro vai sair de um salário de 33 mil para 68 mil por mês. Isso porque o Bolsnaro foi eleito dizendo que acabaria com as mamatas e ninguém mais mamaria nas ‘tetas’ do Governo”, escreveu ele.

Antes disso, ele também chamou o deputado de “alucinado”, pois Eduardo teria vinculado o fim das curtidas do Instagram com a questão de “barrar o crescimento dos que pensam de forma independente”.

  • Brasil polarizado

Felipe também saiu em defesa da deputada Tabata Amaral, que foi chamada de traidora por alguns eleitores. Ela votou a favor da reforma da Previdência e isso foi o ápice para que as pessoas se revoltassem com ela.

“A Tabata Amaral comete um ‘crime’ no atual Brasil polarizado: ela tenta dizer o que há de bom na Direita e na Esquerda e não trabalhar a ideologia, mas sim por bom senso. Isso, no Brasil hoje, é ser ‘traidor’ tanto da direita quanto da esquerda. Uma triste realidade do País”, escreveu. Como esperado, posteriormente ele não falou mais nada sobre o assunto.

  • Defesa

Nem só de alfinetadas vive o perfil de Felipe. Após a gamer Gabi Catuzzo perder patrocínio  , o youtuber usou seu Twitter para defendê-la. “Pergunte para 100 mulheres gamers se elas concordam com essa frase: ‘a maioria dos homens são lixo na internet’. Eu garanto que quase todas irão concordar. Converse com uma mina gamer e descubra o que ela passa diariamente, ouça, entenda, reflita”, escreveu mencionando a empresa que patrocinava Gabi.

  • Salvou a menina!

Felipe Neto e Damares arrow-options
Reprodução/Instagram
Felipe Neto e Damares

Desse compilado de tuítes não poderia faltar uma crítica a Damares , a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Alguns estavam falando que Damares teria “salvo uma menina do infanticídio” e ele logo fez uma declaração.

“Aos que estão dizendo que Damares ‘salvou a menina do infanticídio’, saibam que estão propagando uma mentira. A menina tinha 6 anos quando foi retirada da tribo, não era recém-nascida e era bem tratada. Vocês precisam ler as matérias. Por favor, não é difícil ler”, finalizou  Felipe Neto .

    Leia tudo sobre: Lula