Tamanho do texto

A funkeira está sendo investigada por suposta participação em prática de tráfico internacional de crianças e adolescentes para fins sexuais

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou uma investigação sobre a participação da  funkeira MC Mirella em suposta prática de tráfico internacional de crianças e adolescentes para fins sexuais. Há cerca de uma semana, no último sábado, uma jovem de 17 anos relatou, nas redes sociais, uma suposta conversa com a cantora, que teria ocorrido em novembro de 2017, quando ela ainda tinha 16 anos. 

MC Mirella
Reprodução/Instagram
MC Mirella está sendo investigada pelo MPF por suposta participação em tráfico internacional de menores

No diálogo, MC Mirella teria oferecido até R$ 5 mil para que a adolescente passasse um final de semana "com um amigo", identificado como um empresário do Paraguai. A artista, de 21 anos, com mais de 10 milhões de seguidores no Instagram, classificou as acusações como "um absurdo", mas confirmou a existência da conversa.

A jovem, cuja identidade foi preservada, afirma ter sido abordada pela cantora na época do suposto diálogo. Nas imagens expostas, Mirella inicia uma conversa com a adolescente oferecendo R$ 2 mil e passagens de ida e volta, além de "despesas" necessárias, para passar um final de semana saindo "com um amigo".

"Linda, um fã seu que é meu amigo insistiu muito para falar com você, ele quer saber se você topa sair com ele um final de semana, ele paga R$ 2 mil + passagem de ida e volta + despesas, ele é muito tranquilo e super de boa e já tem tempo que ele quer sair com você", diz a MC na imagem divulgada.

Leia também: Que tiro foi esse? A viralização do funk e as polêmicas em torno das músicas

A jovem, então, rejeita a proposta e pergunta quem seria o homem. Mirella o identifica como um dono de shopping "bem discreto" e oferece que a menor leve mais uma amiga para não se sentir sozinha. Diante de mais uma negativa, a funkeira teria insistido na oferta e sugerido que a adolescente conte para o namorado uma versão diferente.

Após a terceira recusa ao convite, Mirella teria subido o valor oferecido para R$ 5 mil e proposto fazer o pagamento de forma antecipada, ainda segundo a denúncia da adolescente. A cantora teria chegado a relacionar as cifras envolvidas ao preço de um aparelho celular de recém-lançado.

Após a conversa viralizar nas redes sociais, a jovem pediu que não utilizassem a imagem dela e chegou a desativar a conta na rede social. Em vídeo, a adolescente também relatou que o mesmo homem já tinha a abordado anteriormente, oferecendo quantias "estranhas" para o número de seguidores que ela tinha à época. Ela também acusa a funkeira de receber algo para vendê-la.

"Eu acho que ela (Mirella) foi errada, sim. Recebeu, sim, para me vender, e eu sinto muito por isso. Sinto que alguém tentou me vender. O pior de tudo é isso, o homem do Paraguai, que não aceitou um não. Nenhuma mulher pode ser vendida por preço nenhum. Eu lembro que fiquei com muito medo na época", relatou.

Procurada pelo EXTRA, a assessoria da cantora afirmou que MC Mirella não dará mais declarações sobre o caso e que resolverá a questão juridicamente.

A versão de MC Mirella

MC Mirella
Reprodução/Instagram
Em vídeo publicado nas redes sociais, MC Mirella nega as acusações e questiona o fato vir à tona apenas agora

Por meio de um vídeo, a MC publicou em suas redes sociais oficiais uma nota de esclarecimento. A funkeira considerou as acusações como inverdades e disse não ter nada contra quem adota práticas como as que ela estava sendo acusada — aliciamento de menores de idade . Por meio de assessoria, a cantora esclareceu que se referia a "não se intrometer na forma em que as pessoas ganham a vida".

"Eu não tenho nada contra quem faz esse tipo de coisa que você me acusou e não julgo a vida de ninguém", afirma Mirella.

A funkeira prossegue dizendo que não deseja mal à adolescente, mas alega que não sabia que ela era menor de idade. Mirella atribui a falta de conhecimento pelo fato de a jovem ter fotos "muito desenvolvida" e se classificar como modelo na biografia do perfil na rede social.

Leia também: Do baile às baladas, o funk atravessa gerações e conquistas novos seguidores

Segundo a MC, a adolescente estaria tentando ganhar fama com a denúncia. Mirella também questiona o fato de caso vir à tona após quase dois anos. A funkeira diz que a jovem terá de provar as acusações.

"Por que depois de dois anos você quis vir com isso à tona? Você sabia que causou uma represália? As pessoas que foram assistir meu show podiam me humilhar, me agredir. Isso é muito esquisito, muito estranho", desabafa.

MC Mirella finaliza o esclarecimento afirmando que também já foi contratada pelo homem para fazer uma presença VIP, de cunho apenas profissional, mas não pôde comparecer. No vídeo, os comentários foram bloqueados, após repercussão negativa.