Tamanho do texto

Após anos internada por conta de problemas psicológicos e uso de drogas, Amanda Bynes está preparada para voltar e lidar com Hollywood

A estrela dos filmes "Hairspray" e "A Mentira", Amanda Bynes, de 32 anos, está de volta, e para marcar seu retorno ela caprichou no ensaio e declarações para a mais recente edição da Paper Magazine .

Leia também: Amanda Bynes reaparece em público e seu visual choca fãs

Amanda Bynes para a Paper Magazine
Reprodução/ Paper Magazine
Amanda Bynes para a Paper Magazine

Amanda Bynes esteve longe dos holofotes por cerca de cinco anos. Nesse período a atriz ficou internada em ala psiquiátrica e clínica de reabilitação . De acordo com ela, tais problemas ficaram no passado, pois já está sóbria há mais de quatro anos. 

Leia também: Os famosos que já foram flagrados usando drogas

Na entrevista, a loira relembrou alguns fatos pessoais e afirmou que não gostava de sair antes de ter passado por tais problemas, dizendo também que "nunca gostou do gosto de álcool", pontuando que fazia mal para seu estômago. Já o uso de drogas começou cedo, aos 16 anos, com maconha. "Embora todos pensassem que eu era a 'boa menina', eu fumava maconha a partir daquele momento. Eu não fiquei viciada [na época] e não estava abusando dela. E eu não estava saindo e festejando ou fazendo papel de boba", explica Amanda.

Com o passar do tempo, entretanto, passou a experimentar novas substâncias, e a dependência veio com o uso de ecstasy. "Nunca fiquei viciada em cocaína. Nunca gostei dela. Nunca foi minha droga de escolha. Eu definitivamente abusei de Adderall [um tipo de anfetamina]",declarou.

O início do problema com drogas de Amanda Bynes

Amanda Bynes para a Paper Magazine
Reprodução/ Paper Magazine
Amanda Bynes para a Paper Magazine

"Na época de 'Hairspray', chamavam Adderall de 'a nova pílula magrinha' e eles estavam falando sobre como as mulheres estavam tomando para ficar magra", relembrou ela, dizendo ter conseguido uma receita para começar com o uso do remédio, que servia para tratar a Narcolepsia e o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

Olhando para trás, ela acha que Adderall desempenhou um grande papel em seu comportamento no set de filmagens "Passe Livre" (2010), um dos primeiros casos em que o público começou a ter uma noção de que algo poderia estar errado com a jovem atriz. "Eu mastigava os comprimidos Adderall porque achava que eles me davam um barato. Eu me lembro de mastigar um monte deles e, literalmente, estar distraída e não ser capaz de me concentrar em minhas falas ou memorizá-las", recorda sobre as filmagens do longa.

Amanda Bynes para a Paper Magazine
Reprodução/ Paper Magazine
Amanda Bynes para a Paper Magazine

Depois de pedir demissão de "Passe Livre", Bynes disse que se sentiu perdida: "Eu simplesmente não tinha nenhum propósito na vida. Eu estava trabalhando toda a minha vida e [agora] eu não estava fazendo nada. Eu tinha muito tempo em minhas mãos e eu literalmente ficava chapada o dia inteiro".

Sobre o vício em drogras, na época ela declarou: "Eu comecei a sair com uma multidão mais sórdida e eu me isolei muito... Eu realmente gostei do uso de drogas e isso se tornou um mundo realmente sombrio e triste para mim. Naquela época estava presa em casa, ficando chapada, assistindo TV e tuitando". Hoje, de acordo com ela, graças a reabilitação está sóbria há mais de quatro anos.

Leia também: Ex-ator mirim da Disney é preso na Califórnia por uso de drogas

Vale ressaltar que em 2013, Amanda Bynes passou por problemas psicológicos e com a justiça dos EUA por conta do abuso de drogas. Depois dos ocorridos ela passou a cursar psicologia em uma renomada universidade de Los Angeles, e também revelou que estava estudando moda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.