Tamanho do texto

A cantora Ana Cañas compartilhou o clique sensual no Instagram

Ana Cañas resolveu enviar um recado feminista e empoderado para os fãs e haters de plantão. A cantora compartilhou em seu Instagram , nesta sexta-feira (17), uma foto completamente nua. Com poucas horas no ar, o post já alcançou mais de 6 mil curtidas. 

Leia também: Ana Cañas encerra turnê e revela novo álbum para segundo semestre de 2018

Ana Cañas posta foto completamente nua com legenda empoderada
Reprodução/Instagram
Ana Cañas posta foto completamente nua com legenda empoderada


Juntamente com o clique sensual,  Ana Cañas também compartilhou a sua opinião na legenda sobre tema como o nudismo e o aborto. "Foda-se o patriarcado e o controle dos corpos. nudez, aborto, roupas, tamanhos, padrões. a gente é que decide. a gente é. patriarcado, caia e morra. bem agora. beijo", escreveu. 

Nos comentários, os admiradores da morena elogiaram a sua postura. "Linda foto! Toda nudez será linda!", escreveu uma seguidora. "Linda e revolucionária!!!", disse outra. "Aaaaaaaaa, maravilhosa", comentou uma terceira. 


Leia também: Sexy e ousada! Ludmilla posta foto de topless usando somente calcinha

Ana Cañas expõem suas opiniões

Em entrevista ao iG Gente , a artista demostrou com prazer que divide seu tempo com os seus projetos pessoais na música com seu ativismo. “Se não me posicionar agora, sinto que não fiz a minha parte, a minha obrigação, que é defender a liberdade, a igualdade e a democracia. São valores que carrego em meu coração e que passaram a fazer parte de algumas canções na minha vida”, explica.

Leia também: Manu Gavassi posa sensual no Instagram e divide opiniões sobre padrões de beleza

Sobre o cenário musical,  Ana Cañas  reverbera a desigualdade de gênero de maneira voraz, dizendo que todos os "todos os privilégios permanecem nas mãos dos homens e os espaços de decisão de poder são ocupados por eles": "Mas a gente segue firme na luta, dia após dia, mostrando como é que se faz, que é possível construir uma cena bem diferente da que ainda existe”, afirma.