Tamanho do texto

Renata Banhara participou de uma entrevista no canal de Antonia Fontenelle e revelou detalhes sobre as agressões que sofreu do ex-marido

Renata Banhara foi a convidada de  Antonia Fontenelle para uma entrevista em seu canal "Na Lata", no YouTube . Durante o programa, publicado nesta segunda-feira (06), a apresentadora contou os momentos difíceis que passou ao lado do ex-companheiro e das agressões. A apresentadora contou também que há três semanas tentou o suicídio novamente. 

Leia também: Renata Banhara confessa que pensou em suicídio depois de sofrer grave doença

Renata Banhara fala sobre agressões que sofreu do ex-marido durante participação no canal de Antonia Fontenelle,
Reprodução/Youtube
Renata Banhara fala sobre agressões que sofreu do ex-marido durante participação no canal de Antonia Fontenelle, "Na Lata"


Logo no início, Antonia Fontenelle questionou Renata Banhara sobre sua atual relação e agressão que sofreu do cantor Frank Aguiar. Renata relembrou como foi o início da relação do casal, dizendo que o rapaz era muito novo, mas que hoje, aos 43 anos, tem experiência e maturidade para reconhecer o que aconteceu. 

"(...) Ali foi um deserto terrível que nós atravessamos, fui casada há cinco anos com ele, fomos felizes em inúmeros momentos, mas o final foi muito ruim", ressaltando que perdoou o ex, contando que ele é um excelente pai e que torce para que continue assim, também tendo a sua ajuda quando ficou internada. 

As agressões sofridas por Renata Banhara

A apresentadora relatou como foi que descobriu a traição do ex-marido, que também a agrediu, contando que tinha uma relação de oito anos perfeita: "Eu vou começar do fim, vou pular minha doença, começar do fim. Um dia a minha empregada me liga, muito fiel a mim, com muito amor no coração, me fala como mulher: 'tem vindo uma jovem aqui, na sua cama, na sua casa'", relembra ao relatar também que na época passava mais tempo no hospital do que em casa. 

Renata Banhara relata agressões que sofreu do ex-marido
Reprodução/Youtube
Renata Banhara relata agressões que sofreu do ex-marido

"(...) Olha o grau de canalhice. Eu inválida, doente, sou traída na minha cama. (...) Porque existe motel, hotel, mas a minha cama é meu âmago. Ai depois eu sou espancada, há o abandono financeiro durante todo esse período e ainda ele entra com um ofício extrajudicial contra as emissoras, é uma violência psicológica que eu sofri", relata também ao dizer que nunca notificou nenhum empresa em que o ex-marido tem negócio no exterior pois senão ele seria eternamente desempregado e que tem direito a 50% dos bens que construiu durante a relação.

Leia também: Renata Banhara dá detalhes de agressões do marido: “Me deu murro, chute e soco"

Tentativa de suicídio

Renata Banhara relembrou como foi as agressões que sofreu desse ex-marido, dizendo que no momento seu filho mais velho estava presente, que estava sob o efeito de medicamento e que não conseguia chamar socorro. "Eu já sabia dessa traição há muitos dias, mas só fui falar nessa noite, véspera no aniversário da cidade de São Paulo, dia 24. Me sumiu o número da mente, se eu tivesse telefonado 180, que é o número que toda mulher deve fazer, ele teria sido preso em flagrante. Eu, como militante, não fiz isso pois estava em estado de chock." 

Renata Banhara relata que levou golpes na cabeça após cirurgia
Reprodução/Youtube
Renata Banhara relata que levou golpes na cabeça após cirurgia


"Meu filho tentava desarmar as fechaduras eletrônicas do apartamento e quando o meu filho me deixava sozinha, ele me espancava com as pernas, não com as mãos, porque ele não queria deixar digital. Então foi mais ardiloso ainda, mais bizarro. (...) Ai ele me levou para um quarto, era no 21ª andar, trancou, sem encostar em mim e disse: 'olha, você está velha, eu não te amo mais, o Breno e o Marcos não te amam mais, você está com dor, você não vai ter mais trabalho, pula, acaba com o seu sofrimento'. (...) Eu queria me jogar, meu filho atrás gritava: 'mãe eu te amo'", conta. 

Emocionada Banhara continua contando sobre a indução a tentativa de suicídio que sofreu do ex-marido: "Meu filho conseguiu abrir a porta do quarto com a chave reserva, me tirou dali, me colocou em um canto do quarto e desmoronou porque era o ídolo dele. Ele começa a enxugar as lágrimas, meu marido passa por trás dele, fingi que vai sair, arranca o celular e dá três golpes na minha cabeça, no lugar da cirurgia, quebrando o aparelho na minha cabeça, na frente do meu filho", relata. 

Nova tentativa

Banhara contou exclusivamente ao canal de Antonia Fontenelle que há três semana tentou novamente se suicidar, tomando diversos remédios pois não aguenta mais sofrer. 

Renata Banhara conta sobre a nova tentativa de suicídio que tentou praticar
Reprodução/Yputube
Renata Banhara conta sobre a nova tentativa de suicídio que tentou praticar

"Há três semanas eu tentei o suicídio novamente. Eu tomei tudo o que tinha em casa peguei minha pasta de documentos, coloquei no quarto do meu filho mais velho, deixei lá, o meu filho é um ícone. (...) Fiz um coquetel, fiz um Pai Nosso e uma Ave Maria, pedi perdão para Deus, que Deus tivesse piedade de mim e falei: 'Senhor, eu quero dormir e acordar do seu lado, me tire daqui, eu não aguento mais sofrer'". 

Leia também: Renata Banhara chora e desabafa na internet após recusa de plano de saúde

Nesse meio tempo, a apresentadora contou que Simone , da dupla Simone e Simaria, enviava mensagens perguntando se estava precisando de alguma coisa. "(...) Tomei tudo o que eu tinha em casa. Ai eu sentei na minha cama e questionei: 'cadê Deus?'. Acordei no meu apartamento, meu filho já tinha ido trabalhar e a Simone mandando mensagem para mim sobre as passagens do retiro espiritual (...)".

Por fim, Fontenelle pediu para que Renata Banhara desse um conselho as mulheres que também já passaram por algo parecido: "Eu acho que é primeiro fazer valer os seus direitos, você consultar um advogado ou a defensoria pública, sempre lembrar do 180 pelo amor de Deus, fez total diferença eu não ter ligado. Lute pelos seus direitos, você vai ter essa depressão que eu tive, essa sensação de impunidade, de injustiça, mas seja mais forte (...)", completou.