Tamanho do texto

A história ganhou um novo episódio nesta segunda-feira (20) com a declaração do Secretário de Segurança do Rio de Janeiro no Facebook

Parece que as declarações da atriz Taís Araújo a respeito do racismo no Brasil durante um evento promovido pelo TEDXSão Paulo em agosto ainda estão rendendo muito pano para manga. Na ocasião, Taís afirmou: "a cor do meu filho é a cor que faz com que as pessoas mudem de calçada, escondam suas bolsas e blindem seus carros". Ela também falou sobre misoginia e a dificuldade que sua filha - mulher e negra - está sujeita a enfrentar em nossa atual sociedade.

Leia mais: Taís Araújo assume que já sofreu dois abortos espontâneos: "fiquei arrasada"

Taís Araújo desabafa para revista e admite que já sofreu dois abortos espontâneos, além de falar de traumas da gravidez
Divulgação
Taís Araújo desabafa para revista e admite que já sofreu dois abortos espontâneos, além de falar de traumas da gravidez


Em um dos trechos de sua fala,  Taís Araújo  também diz: "fico elaborando o tempo inteiro uma maneira de criar meus filhos aqui, no meu país. Como criar crianças doces em um país tão ácido. Como criar crianças que acreditem que pluralidade e diversidade são riquezas em um país que é tão plural, tão diverso e tão desigual". 

Leia também: Empoderada, IZA lança videoclipe com participação de Tais Araújo

Com a divulgação do vídeo de sua participação no evento na última semana, a atriz foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Um dos que colocaram mais lenha na fogueira da questão foi o Secretário de Segurança do Rio de Janeiro, César Benjamin, que fez um longo texto em seu Facebook sobre a fala da artista.  “Qualquer idiotice racial prospera. A última delas é uma linda e cheirosa atriz global dizer que as pessoas mudam de calçada quando enxergam o filho dela, que também deve ser lindo e cheiroso". 

Benjamin ainda afirmou que o racismo no Brasil é, na verdade, uma criação dos Estados Unidos. "Se os brasileiros mudassem de calçada quando vissem uma pessoa morena ou negra, viveriam em eterno ziguezague . Nunca chegariam a lugar nenhum", disse.


Não satisfeito, o Secretário completou "me poupem de dizer que 'os negros estão nas prisões'. Isso vale para falar bonito para a classe média. Vivi bastante tempo no meio da massa carcerária de Bangu, como preso comum. Os brancos, como eu, eram pequena minoria. Os negros também eram pequena minoria. A grande maioria era de gente morena, com todas as gradações do nosso povo". 

Leia também: Taís Araújo envia doce de abóbora para Ana Maria Braga: "Temos melhores"

Dia da Consciência Negra

O texto do Secretário da Segurança do Rio de Janeiro veio à tona justamente em 20 de novembro - dia da celebração da Consciência Negra . Vale lembrar que a atriz Taís Araújo já foi vítima de diversos ataques racistas em uma foto sua divulgada em 2015. Na época, a global chegou a afirmar que levaria o caso para a polícia. "Faço questão que todos sintam o mesmo que eu senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena neste país, além do sentimento de pena dessa gente tão pobre de espírito. Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça", disse.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas