Tamanho do texto

Após quase 2 décadas, a despeito das medidas da direção do programa para surpreender, é possível mapear técnicas e estratégias para ir bem no reality

Uma nova edição do “BBB” começa nesta terça-feira (15), e os ânimos para conferir as estratégias dos participantes que disputarão o prêmio de R$ 1,5 milhão estão com tudo. Afinal, apesar de o programa da Globo render polêmicas, romances e nudes, o verdadeiro propósito de se encubir de tanta exposição é a fama, dinheiro ou o dinheiro que vem com a fama.

Leia também: "BBB" e seus colírios: os ex-brothers mais gatos de todas as edições

Guia iG de estratégias para chegar longe no BBB
Divulgação
Guia iG de estratégias para chegar longe no BBB

Desde a primeira edição até a mais atual, independente da personalidade e afeição do público, os campeões do “ BBB ” sempre trazem uma lição importante para os interessados em conquistar o título do reality show

Leia também: Ex-BBBs e mamães! Elas experimentaram a maternidade após o reality

Com base nisso, o iG Gente produziu um "Guia para ir longe no Big Brother Brasil". Será que você tem o necessário para se destacar e manter-se no jogo por um bom  tempo?

  • A espontaneidade
BBB
Reprodução / TV Globo
BBB

Durante cerca de três meses, os participantes do reality vivem em uma residência cenográfica montada dentro do Projac, estúdios Globo . No entanto, apesar das câmeras por todo lado, um fator que não pode ser perdido no meio deste tempo é a espontaneidade.

Isso por que a eliminação acontece em duas etapas: primeiro os residentes do programa decidem quem deve ir à berlinda semanal e na segunda o público decide quem permanece. Sendo assim, é importante que o aspirante a milionário mantenha-se fiel a quem é, evitando chamar atenção de maneira forçada e apenas se destacando por suas características positivas. Na edição passada, Ana Clara foi a participante que mais ostentou essa característica.

  • Pecado mortal: a fofoca
Mahmoud fofocando com Lucas
Reprodução/TV Globo
Mahmoud fofocando com Lucas

Uma vez dentro do reality show, a vida do participante resume-se a praticar exercícios, curtir as áreas de lazer, realizar tarefas domésticas e participar das dinâmicas estipuladas pelo programa. Fora do conteúdo programado, o ócio é um fenômeno onipresente, e isso dá vazão a um problema que fundamenta a maioria das brigas no confinamento: a fofoca.

Entre uma conversa paralela aqui e cochichos acolá, os participantes, que já estão com seus instintos à flor da pele, acabam entrando em conflito com os demais. Mesmo que os “barraqueiros” muitas vezes sejam salvos pelo público, não é uma estratégia segura para quem deseja chegar longe (ou à final), onde o público escolherá, claramente, o mais querido.

  • A linha tênue entre personalidade forte e arrogância
Nayara
Divulgação
Nayara

Aprender a conviver é um desafio diário, e quando se está rodeado por uma variedade de personalidades, fortes, fracas ou inexistentes, é natural que existam discussões (acaloradas ou não) para que limites sejam impostos, fiscalizados e cumpridos.

Todavia, é importante memorar que o programa não recebeu a alcunha de “casa mais vigiada do Brasil” à toa. Incontáveis pessoas do País inteiro acompanham a atração, e apesar de manterem os “linguarudos” na edição por um tempo, o público os corta assim que o arrogante enfrentar alguém de personalidade genuínamente forte no paredão. Exemplo claro disso é Gleici, a campeã da 18ª edição. A participante tinha personalidade forte, humildade e carisma, ao enfrentar Nayara e Mahmoud, participantes um tanto ríspidos e propícios a embates, ela saiu vitoriosa com cerca de 3% de rejeição dos votos apurados.

  • O pacote completo
Gleici se emociona ao sair da casa do BBB 18
Reproduçao TV Globo
Gleici se emociona ao sair da casa do BBB 18

Leia também: "Sem tempo para lamentações", diz Fábio após desclassificação do "BBB 19"

Com exceção de Emilly Araújo, que teve uma série de desfalques em sua edição, os demais vitoriosos do “ BBB ” contemplam uma sequência de elementos que fizeram deles campeões: garra, estratégia própria, carisma, humildade e lealdade a seus ideiais, independente se eram considerados ruins ou pouco aconselháveis pelos demais. Exemplos claros disso são Cida, Jean Wyllys, Diego Alemão, Marcelo Dourado e os demais sagrados vitoriosos. Para se ganhar a competição ou chegar longe, é necessário ter sede de vitória, mas sem exageros. Afinal, é o equilíbrio que resulta no sucesso.

    Leia tudo sobre: BBB
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.