Déa Lúcia e o filho, Paulo Gustavo, que morreu em maio vítima da Covid
Reprodução/Globo
Déa Lúcia e o filho, Paulo Gustavo, que morreu em maio vítima da Covid


Faltam seis meses para o carnaval de 2022, mas a expectativa para o desfile da São Clemente, cujo enredo vai homenagear Paulo Gustavo , morto em decorrência de complicações da Covid-19 em maio, é grande para Déa Lucia, mãe do humorista. Em live com Milton Cunha e o carnavalesco Tiago Martins no YouTube, na noite da última terça-feira, ela falou sobre os preparativos.

"Eu vou morrer na Avenida, meu coração vai parar", disse ela. " (Sobre a fantasia) vou ter uma conversinha com o Tiago Martins. Sou fã de carnaval". A mãe de Paulo Gustavo contou que sempre gostou de carnaval.

"Eu sou de Barra do Piraí, e meus pais eram sempre eleitos pelos amigos como os reis do carnaval", disse ela, que levava Paulo e Juliana, sua filha mais velha, para bailes infantis em Niterói. "Mas quando eles cresceram mais um pouco é que gostaram de ir para o carnaval".


Déa aproveitou o papo descontraído para contar histórias da relação com o filho. Uma que arrancou risadas foi a do tempo em que ela fazia quentinhas e pedia ajuda do filho para as entregas:

Você viu?

"Falei para ele assim: "Você vai entregar quentinha". Ele falou: "Não vou". Ah, vai. "Então, eu vou de patins". Eu agarrei ele assim: "Se você derrubar uma quentinha, vou esfregar sua cara no fogão".

A mãe do ator também falou sobre o recomeço sem ele. "Tem dia que a gente está muito alegre, tem dia que a gente está muito triste. Tudo lembra ele na vida", disse Déa, brincando, na sequência, como as amigas do ator a ajudam. "Eu brinco que é tudo viúva de Paulo Gustavo".

Assista:


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários