Daniel, no entanto, está livre, mas roupas íntimas de ambos foram apreendidas para perícia e o inquérito continua

Daniel e Monique, antes da saída do brother do jogo
Reproduçao TV Globo
Daniel e Monique, antes da saída do brother do jogo

Na manhã desta terça-feira (17), Daniel e Monique prestaram um longo depoimento ao delegado Antônio Ricardo Nunes em um estúdio do Projac, fora da casa mais vigiada do Brasil. Depois de uma hora e meia com cada um, Antônio ouviu os dois negarem que houve relação sexual na madrugada de sábado (14), após a primeira festa do programa. Mesmo com a negativa dos brothers e a recusa de Monique em fazer o exame de corpo de delito, o inquérito seguirá, com a análise de algumas provas. “Apreendemos as roupas íntimas utilizadas tanto por ele quanto por ela. A roupa de cama também foi apreendida e encaminhada para a perícia para ver se tem algum resíduo de esperma. E vou analisar as imagens para confrontar com os dois depoimentos”, informou o delegado, após deixar o Projac e se dirigir para a 32ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro.

Leia também: Daniel é expulso do Big Brother Brasil 12, após suposto abuso sexual

Confira: Áudio revela o que Monique falou no confessionário sobre o suposto abuso

Antônio, que está no comando do caso ao lado do delegado adjunto Maurício Mendonça , afirmou que ainda não pode chegar a nenhuma avaliação, pois precisa analisar as provas com calma. Ele também não descarta ouvir outras testemunhas – participantes ou funcionários da emissora -- e nem uma acareação entre Monique e Daniel.

Daniel, que prestou depoimento esta manhã, foi ouvido na qualidade de testemunha, como informou o delegado, por isso, pode até mesmo deixar o país como foi questionado. “Ele está livre”, afirmou Antônio, que, por enquanto, não vai optar por prisão preventiva.

Enquete: Você acha que houve abuso sexual?

Vote também: Monique também deve ser expulsa do BBB12?

Após deixar Projac, delegado explica o caso na 32ª DP do Rio de Janeiro
AE
Após deixar Projac, delegado explica o caso na 32ª DP do Rio de Janeiro

Bebida alcoólica

O delegado não quis informar se houve contradição entre os dois depoimentos, mas falou sobre o que os dois concordaram. "Confirmaram que se tocaram embaixo dos cobertores com o consentimento de ambos. (...) Ambos confirmaram que ingeriram bebida alcoólica, mas estavam consciente do que estavam fazendo. O que aconteceu foi com o consentimento de ambos”. Antônio afirmou também que nenhum dos dois falou sobre ato sexual: “Só confirmaram que se tocaram”.

Mesmo com a negativa de Monique e Daniel, o inquérito policial instaurado com o título de “estupro de vulnerável” seguirá, já que a negativa dela não isenta Daniel no caso. "Ela confirma os toques, enfim, foi consentido por ambos, e se nós entendermos que houve esse ato sem consciência dela, o procedimento do caso continua", informou Antônio. Mas o delegado descarta responsabilizar a Globo por qualquer ato. “São pessoas maiores (de idade). Não vejo responsabilidade nenhuma por parte da emissora”, informou.

Leia também: “Na minha mente só vem uma coisa: racismo”, diz mãe de Daniel

Leia mais: Bial explica expulsão de Daniel em poucas palavras

Delegado Antônio Ricardo Nunes
AE
Delegado Antônio Ricardo Nunes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.