A ex-participante de "A Fazenda 4" e a primeira ser expulsa na história do reality fala sobre o jogo, amizades da casa e planos

Duda Yankovich:
Beto Lima
Duda Yankovich: "Eu não quero ser famosa, quero ganhar meu dinheiro, e levar a minha vida da atleta"
Duda Yankovich:
Beto Lima
Duda Yankovich: "Tive momentos muito legais lá, eu amei cada momento que estava na fazenda"

Duda Yankovich foi primeira participante de “A Fazenda” a ser expulsa do reality por conta de uma agressão física . Durante um jogo de basquete, ela deu um tapa em Thiago Gagliasso . E não foi a primeira vez . Em entrevista ao iG Gente , a boxeadora conta que já bateu em homem.

 Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

“Se alguém indevidamente toca em mim, vem pra cima de mim, é claro que eu vou me defender, mas é só nesse caso. Já bati em homem numa dessas situações, sim, claro”, diz, sem perder a calma.

 LEIA MAIS: Duda sobre tapa em Thiago: "Não foi agressão, foi reação"

Fora da atração desde o início de agosto, a sérvia que mora no Brasil há 12 anos já tem trabalho na Record, ela será comentarista da equipe de esporte nos Jogos Pan-Americanos, que acontecem em Guadalajara (México) no mês de outubro. Durante a conversa, ela falou sobre o que sente falta na fazenda e do que não sentiu enquanto estava dentro da casa. “Duas ou três semanas antes de uma competição, meu namorado e eu não transamos, estou acostumada com isso.”

Confira o bate-papo:

iG: Você se arrepende de ter batido no Thiago Gagliasso?                                                     Duda Yankovich: Um empurrão vindo de mim foi julgado, foi visto como uma agressão, mas para mim não é. Foi uma reação, não foi intencional. Eu me arrependo de não ter melhor controle em mim, e não pelo ato. Eu já tinha dito isso antes de entrar na “Fazenda”, é uma coisa que eu não me permito como atleta. 

"A Fazenda 4": Confira o vídeo que mostra tapa de Duda em Thiago

i G: Já bateu em alguém por perder a paciência por algo ou se sentir “abusada”?                       Duda Yankovich: Acontece como aconteceria com qualquer um. Não se trata de uma boxeadora, trata-se de uma mulher. Isso acontece se alguém me agride. Se alguém indevidamente toca em mim, vem pra cima de mim, é claro que eu vou me defender, mas é só nesse caso. Já bati em homem numa dessas situações, sim, claro. Por que eu permitiria que alguém me toque indevidamente?

iG: O que a "Fazenda" mudou na sua vida? Duda Yankovich: Fiz a minha parte mais do que bem. Quando eu saí, vi que o povo estava gostando de mim, mas acontece. Não ajudou muita coisa na minha vida, que continua do mesmo jeito: dou aula e trabalho. Quanto à mídia, as pessoas que não me conheciam, que não são do esporte, agora me conhecem.

iG: Você afirmou na casa que ganhava R$ 600, é verdade?        Duda Yankovich: Na verdade menos, eu ganho R$ 400 por mês, é meu fixo. Nem tudo é como se parece. Eu tinha patrocínio porque estava lutando e vivendo disso. Dava dois ou três “personais” e foi isso aí. As pessoas acham que porque você está na mídia, parece que é rico, que tem grana, que está bem. Eu nunca tive nada próprio: carro próprio, casa própria, e até um quarto próprio. É relativo.

iG: Você vai mesmo participar da equipe de esporte da Record?                                                Duda Yankovich: Eu já fechei esse contrato, mas é temporário. Dura só enquanto acontecem os jogos, depois eu não sei. Já tenho experiência na TV, porque trabalhei na concorrente (Band) no Pan. Então eu sei como funciona.

iG: Os peões prometeram que vão dividir o dinheiro do prêmio de grupo? O que achou da atitude deles?                                                                                                                                               Duda Yankovich: Atitude maravilhosa se fosse verdade, mas não é. Não foi feito e não vai ser feito. A regra é o dinheiro depositado na conta dos vencedores, ou seja, o grupo que ganhou R$ 500 mil. A gente combinou que eu ganharia também, mas alguns não querem dividir. O Guilherme Pádua , por exemplo.

iG: O que foi mais difícil no confinamento?                                                                                         Duda Yankovich: No começo, achei que fosse difícil me isolar de tudo por três meses, mas caiu numa época com pouca competição, então foi bom para mim. Dizem que para você aprender a viver fechada ou presa, é você esquecer a vida de fora. É difícil esquecer namorado, trabalho, mas eu tentei me isolar. Aquilo lá era a minha vida por no máximo três meses. Tive momentos muito legais lá, eu amei cada momento que estava lá.

Duda Yankovich:
Beto Lima
Duda Yankovich: "Se alguém indevidamente toca em mim, vem pra cima de mim, é claro que eu vou me defender"

iG: Quais são seus planos daqui para frente?                                                                                 Duda Yankovich: Quando eu entrei na “Fazenda”, me atrasei nos treinos. Agora estou voltando, mas não tenho previsão de luta porque fiquei totalmente fora do ar por um tempo. Estou me preparando, então vamos ver, mas não tenho nada previsto.

iG: Quais foram as suas estratégias antes de entrar na casa?                                                             Duda Yankovich: Eu fiquei assustada quando entrei e vi que todo mundo estava com uma estratégia violenta, viram todas as regras, analisaram todos os jogos, provas, todos os participantes e cheguei e disse: não fiz nada disso. Foi pedido para não fazer e realmente fui correta e não fiz nada disso. Mas não tem estratégia, porque depois de quatro, cinco semanas, ninguém mais finge o que é. Então a minha estratégia era eu ser eu mesma. Tentei me relacionar com todo mundo. Se eu não gostasse de alguém, eu não agredia, nem cutucava, simplesmente não tinha interesse de virar amiga.

LEIA TAMBÉM: Sobre a expulsão de Duda Yankovich de "A Fazenda"

iG: Você entrou tranquila e , de repente, começou a se envolver com planos e fofocas. Esse era seu jogo?                                                                                                                                                Duda Yankovich: Fiz meus trabalhos, afinal o reality é sobre isso, fazer o trabalho da Fazenda. Eu chamava e dizia: é isso e isso. Gosta quem gosta. Eu falava diretamente com a Joana (Machado) , Taciane (Ribeiro) e antes de sair, com o Guilherme. Não houve “leva e traz” da minha parte, nesse sentido, me administrei muito bem. Para isso, eu fui bem preparada.

Duda Yankovich:
Beto Lima
Duda Yankovich: "Eu nunca tive nada próprio: carro próprio, casa própria, e até um quarto próprio"
iG: Em breve, vocês irão participar da festa que vai reunir todos os confinados? O que espera deste momento?                                                            Duda Yankovich: Acho que vai ser legal, porque vai reunir todo mundo depois que já passou tudo. Uma vez que o estresse passa, vemos as coisas diferentes. Foi uma novela de três meses com todos nós, agora acabou e não tem mais personagens. Ganhou, ganhou, perdeu, perdeu.

iG: Com quem você quer manter contato? Duda Yankovich: Só com a Ana (Markun) , porque ela é uma pessoa com quem fiz uma amizade verdadeira. E também estou esperando a Valesca , que eu espero que ela ganhe. Se for justo, e é pelo público, ela merece. São amizades que eu vou levar para o resto da minha vida. Agora o restante eu não tenho muito contato. Não é que a gente não vá, ocasionalmente, se encontrar, mas não busco, e nem eles, porque não temos nada em comum.

iG: Acha que o Thiago Gagliasso merecia ser expulso por maltratar os animais?                        Duda Yankovich: Tem uma coisa que se chama a “Santa Edição”. Eu estava lá dentro e vi umas coisas depois que não eram bem assim. Não foi nem comigo. Por exemplo, a Raquel (Pacheco) estava falando que sente muita falta do marido dela, que vai ser muito difícil três meses sem o marido dela. Tradução foi que: Raquel anunciou que vai trair o marido. Isso se chama edição, é complicado. Não sei o que o Thiago fez. Fiquei em estado de choque depois desmoronei, mas eu não achei que fosse ser daquela forma.

iG: De quem você não aprovou as atitudes no jogo?                                                                             Duda Yankovich: Não gostei das atitudes do Gui, acho que a Joana é muito agressiva, mas não foi comigo, então não dá pra dizer. Hoje sou apenas observadora.

iG: Você acha que se não tivesse sido expulsa ainda estaria na briga pelos R$ 2 milhões?   Duda Yankovich: Acho que ainda estaria na casa. Tem muita gente que entra na “Fazenda” porque quer ser famoso. Eu não quero ser famosa, quero ganhar meu dinheiro, levando a minha vida de atleta. Eu acho que não se trata de ser famoso, se trata de fazer a diferença. Disso o povo vai lembrar. Vão te lembrar pelos seus atos e não porque você aparece na TV.  

iG: Qual foi a reação do público aqui fora?     Duda Yankovich: Eu fui sempre bastante conhecida na área de esporte. Agora, muita gente que não sabia o que eu faço, sabe. As pessoas foram muito positivas comigo, isso traz tranquilidade.

iG: Do que você sente falta? Duda Yankovich: Sinto falta dos animais e de algumas pessoas. Falta dessa rotina de trabalho com os animais, isso era legal. Ver o por do sol, dessas coisas eu sinto falta.

iG:Raquel e Valesca disseram que se masturbaram no banheiro. Você precisou também?    Duda Yankovich: Fiquei com saudade do meu namorado, mas não precisei disso (masturbar). A gente se ocupa com outras coisas. Meu namorado ( Douglas Silva ) luta, então duas ou três semanas antes, a gente não transa. Estou acostumada com isso.

Duda Yankovich:
Beto Lima
Duda Yankovich: "Foi uma novela de três meses com todos nós, agora acabou e não tem mais personagens"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.