Entre empurrões e cotoveladas, fãs do BTS se emocionaram durante apresentação; grupo provou que, mesmo ao vivo, conseguem impressionar o público e capturar a atenção com performance dignas de um musical

São aproximadamente 18 mil quilômetros que separam as fãs brasileiras dos sul coreanos do BTS – sigla para “Bangtan Boys”, ou, para os menos familiarizados com o gênero do K-pop, um dos maiores fenômenos da música oriental dos últimos anos. Abrindo a turnê de seu último álbum “Wings”, o grupo lotou a capacidade máxima do Citibank Hall – cerca de sete mil pessoas – em quase duas horas e meia de emoção e momentos inesquecíveis para a legião de Armys, nome dado às fãs do grupo, que puderam realizar seu sonho de estar de frente com seus ídolos. A noite foi marcada por execuções impactantes das músicas e a energia incomparável das brasileiras.

Leia também: Covers de K-pop estão dominando a internet; saiba quem são eles

Show do BTS explorou capacidades indivuais dos membros, bem como músicas executadas em grupo, com apresentação impressionante
Divulgação
Show do BTS explorou capacidades indivuais dos membros, bem como músicas executadas em grupo, com apresentação impressionante


É difícil traduzir tudo que envolve a explosão do BTS por aqui. A dedicação dos fãs brasileiros é mundialmente reconhecida e o reflexo disso não poderia ser diferente: a venda de ingressos esgotou-se em poucas horas. O tráfego no site registrou mais de sete vezes a capacidade de público do Citibank Hall – eram mais de 50 mil pessoas na fila de espera para poder adquirir as entradas para os shows agendados para domingo (19) e segunda-feira (20).

Milhares de fãs do BTS foram à loucura no primeiro show que o grupo fez em São Paulo
iG São Paulo/Veronica Maluf
Milhares de fãs do BTS foram à loucura no primeiro show que o grupo fez em São Paulo

Pela cidade nos dias que antecederam a apresentação já era possível encontrar pistas do que aconteceria na noite de domingo: vindas de várias partes do Brasil, as fãs espalharam homenagens pela cidade e organizaram uma calorosa recepção no aeroporto, além de terem inundado as ruas do bairro da Liberdade. A devoção pela banda unia as fãs que, mesmo sem se conhecer, se apoiavam para realização desse sonho. Os gritos emocionados e frases previamente combinadas já lotavam a aridez do estacionamento do Citibank, deixando claro o que aconteceria quando o grupo subisse no palco.

Leia também: Lista: confira os lançamentos de k-pop para ficar de olho em 2017

As fãs, em sua maioria, mal podiam acreditar que estariam a poucos metros dos garotos do BTS: até o show começar oficialmente, o coro cantando as músicas do grupo já dava a impressão de que a banda estava no palco. O frenesi aumentou vertiginosamente quando apagaram-se as luzes e os vídeos que marcavam o início da apresentação começaram a rodar nos telões do salão. As sombras por trás da cortina já foram o suficiente para que os gritos atingissem outro nível e as lágrimas começassem – bem como o “empurra-empurra” e as confusões pela disputa do lugar mais próximo da grade.

Reinando no palco

Mesmo com pouco tempo de estrada – o grupo foi fundado em 2013 – os sete membros do BTS dominam o palco como poucos artistas fazem e conseguem capturar a atenção do público com maestria. Em um show muito bem equilibrado, a banda soube harmonizar o que tinha de melhor: intercalando grandes sucessos, como “DOPE”, solos com grande carga emotiva e músicas em grupo de “Wings”, eles souberam aproveitar o máximo de seu potencial em uma apresentação. As coreografias sempre impecáveis são ainda mais impressionantes ao vivo – e, a cada passo de dança, as Armys gritavam e pulavam, causando ainda mais impacto.

BTS prova que faz ao vivo e impressiona com coreografias durante show
iG São Paulo/Veronica Maluf
BTS prova que faz ao vivo e impressiona com coreografias durante show

Uma forte característica do K-pop – sobretudo do BTS – são os videoclipes com produções quase cinematográficas e, ao contrário do que se pode imaginar, esse recurso foi amplamente aproveitado ao vivo: os intervalos para troca de roupas eram preenchidos com os vídeos com os conceitos de “ Wings ” e introduziam a música seguinte a ter tocada. Os vídeos seguravam a animação das fãs e não deixavam o clima do show esfriar nessas pausas. Além disso, diversas canções ganhavam produções dignas de grandes musicais como cenários que eram montados em instantes na frente do público. O BTS conseguiu se apropriar da melhor forma do que tinham à disposição para criar um verdadeiro espetáculo, não deixando nenhuma Army sair decepcionada da apresentação.

Leia também: CCXP consolida crescimento da cultura japonesa junto ao público geek brasileiro

A “chave de ouro” do grupo foi se arriscar no português para agradecer suas fãs brasileiras – inclusive com um vídeo inteiramente traduzido falando do conceito do álbum. O sentimento da plateia era compartilhado pela banda que estava tão emocionada quanto às sete mil pessoas que lotaram a casa de shows. As fãs brasileiras são motivo de orgulho para o grupo – que não escondeu a gratidão pelo sucesso que fazem no País – e prometeram voltar em breve para mais uma dose. Entre gritos, cartazes e muitas lágrimas, o BTS fechou a noite com bandeiras do Brasil e o sentimento de sonho realizado para as fãs.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.