Vitória interpreta a prima de Tenório na obra
Reprodução/Vitória Fallavena 05.05.2022
Vitória interpreta a prima de Tenório na obra


Atualmente como Mércia em 'Além da Ilusão', a atriz Vitória Fallavena é grata pelo papel na obra de época, onde interpreta uma comunista foragida na ditadura Vargas. Em entrevista ao iG Gente, Vitória conta os desafios de voltar no tempo com a personagem criada por Alessanda Poggi.


"Atuar em uma novela de época é muito legal pela parte da criação, de participar de uma novela de época. E era um dos meus sonhos inclusive, participar", comenta.

Vitória também conta algumas situações que passou no set e as diferenças que sentiu por atuar em 'Além da Ilusão'. "Por ser outra época, o modo de falar é diferente. Quando você vai falando, entra na personagem, eu até comecei a responder meus amigos de forma mais formal", revela.

A atriz diz que passou por alguns desafios com a linguagem dos anos 40.  "Conseguir passar a verdade e natural com essa linguagem diferente, até o movimento, eu sinto que hoje somos mais abertos, antigamente era mais contido", pontua. 

Durante a conversa, Vitória revela que sente semelhanças entre a história de Mércia e a política atualmente. "Sinto que a autora coloca essa personagem para refletir os dias de hoje, para entendermos o que aconteceu, para onde vamos e como os momentos se assemelham. Essa perseguição que a Mércia sofre, graças a Deus a gente não sofre nesse estilo de revirar as casas", comenta.

Para Vitória, o Brasil vive outro momento, mas a autora, Alessanda Poggi, faz um aviso ao público. "É outra época, mas que nos avisa: 'passamos por isso, não queremos voltar para esse período'. Ela mostra o que não podemos repetir", afirma. 

Mércia, que foge e se esconde com o primo, o padre Tenório, interpretado por Jayme Matarazzo, inspirou Vitória em alguns aspectos curiosos da vida da atriz. "Primeiro que eu desmaio com sangue, se meu noivo estivesse baleado, desmaiado com sangue, eu teria caído dura. Eu não sou essa pessoa, uma das qualidades que mais gostei da Mércia é essa coragem, essa força", afirma, rindo.

"Ela toma a frente, ela observa o Tenório, a Olívia, ela cuida deles. São as qualidades que quero levar para a vida, sou corajosa, mas nesse sentido, nunca tive a força que a Mércia teve", revela.

Mas além dos pontos que diferem ela de Mércia, Vitória diz que há um ponto em comum com a personagem. "Sou muito observadora, sensível, curiosa como ela. Já juntei casais que têm filhos hoje em dia e a Mércia tem isso, ela acredita que o primo não deve se reprimir a nenhuma forma de amor, ela acredita que não existe amor errado", comenta. 

Da relação entre Tenório e Olívia, interpretada por Débora Ozório, Vitória aponta que Mércia é a 'virada de chave' para o padre aceitar que tem sentimentos românticos pela operária. "A Mércia é família, falei com o Jayme que quando a família 'autoriza' a sentir algo, é outro nível de aceitação. Situações de hoje, fora da relação do padre, uma relação homossexual, quando a família aceita, mostra que é seguro sentir aquilo, o amor. Pode ser sim, a família ajuda, sempre ajuda", pontua.

A atriz comenta que apesar da tensão que o núcleo de Mércia traz para a novela, a autora continua mostrando a força do amor. "Sexta-feira ela já vai embora, mas não vou falar o que vai acontecer, vão acontecer coisas ainda com o noivo, Nathan, retomando o amor que a autora fala na novela. Por mais turbulento que esteja o momento, sofrendo, o amor prevalece", afirma. 

Vitória precisou estudar o Estado Novo para interpretar Mércia



'Além da Ilusão' se passa durante a época do Estado Novo, a fase ditatorial do governo de Getúlio Vargas. Na época, o político perseguia inimigos políticos, comunistas sendo caracterizado pelo nacionalismo. Vitória conta que estudou a história de Olga Benário, militante comunista e judia entregue pelo governo de Getúlio Vargas aos nazistas, em 1936, e morta em uma câmara de gás, em 1942. 

"A Mércia fez eu pesquisar, foi muito interessante por reconhecer a história do Brasil, ver 'Olga' mostra como é impressionante tudo o que ela passou, a figura dela se relaciona com a Mércia por estar neste lugar ativo", comenta. Vitória também faz um elogio à atriz que atua como a militante no filme, Camila Morgado:

"A Camila Morgado é uma ótima atriz, consegue fazer a gente sentir aquele momento. Uma boa atuação traz esse aspecto sensorial, foi muito impressionante e que bom que encontrei a Mércia, que ela veio até mim para saber mais desse período". 

Além de 'Olga', Mércia diz que se preparou assistindo ao filme 'As Sufragistas', que mostra a luta das mulheres na Inglaterra pelo voto feminino em 1912. "A questão da mulher me serviu muito. Tem uma cena que a mulher apanha da polícia, foi horrível de ver, mas foi bom entender que seria algo que ocorreria com a Mércia. É imprescindível para o trabalho do ator, às vezes não temos dimensão palpável da história até ver e sentir", comenta. 

Para ela, Mércia foi uma personagem que a fez refletir a força da mulher em crises políticas. "Tenho a impressão de que o personagem não surge por acaso, além do trabalho para conquistá-lo, ele chega para descobrir algo interno meu e para o mundo, ele surgiu para eu aprender sobre coragem, força, que eu penso que os outros que virão podem dialogar com assuntos que preciso. O meu sonho é realmente poder fazer mais personagens e enfim, voar por aí, recebi muitos 'nãos' até chegar esse sim, da Mércia, o que é muito gratificante", pontua. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários