Paulo André é o primeiro atleta olímpico a participar do
Reprodução/Globo - 14.03.2022
Paulo André é o primeiro atleta olímpico a participar do "BBB"


Primeiro atleta olímpico a participar de uma edição do "Big Brother Brasil", no "BBB 22", Paulo André tem mostrado muita garra e determinação nas provas. Diferentemente de outros membros do grupo "Camarote", o velocista não tem uma vida fácil aqui fora, e entrou no programa para tentar melhorar sua visibilidade. Mas devido a isso, ele está ameaçado de perder um dos benefícios financeiros que recebe como atleta.


O brother de 23 anos teve seu nome envolvido numa recente polêmica que repercutiu nas redes sociais. O ministro da Cidadania, João Roma, disse à "Veja" que pode remover a Bolsa Atleta do velocista, que segue recebendo a quantia de R$ 1,8 mil por mês enquanto está confinado. O benefício em questão é um dos quatro recebidos por Paulo André. Mas mesmo somando todos eles, o atleta demoraria mais de 12 anos para atingir o valor de R$ 1,5 milhão dado ao vencedor do "BBB 22".

Leia Também

+ Entre no  canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre as celebridades, "BBB" e muito mais! 

O Bolsa Atleta federal é um programa destinado a dar aos esportistas "condições mínimas para que se dediquem, com exclusividade e tranquilidade, ao treinamento e às competições". Além desse benefício, PA recebe do programa Bolsa Atleta Capixaba mais R$ 2.000. O participante do BBB leva também R$ 1.650 por mês por integrar a seleção permanente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). Ele é ainda terceiro-sargento da Marinha, e recebe salário como parte do programa das Forças Armadas para atletas de alto rendimento no valor de R$ 4.700 mensais.

Somando todos os honorários, Paulo André recebe R$ 10,2 mil por mês pela sua carreira de atleta. Dessa forma, precisaria juntar todo esse dinheiro por aproximadamente 12 anos e três meses para chegar ao prêmio de campeão do BBB.

PA conta com pelo menos oito medalhas de ouro, incluindo uma pelo Campeonato Mundial do revezamento 4x100m, no Japão, em 2019. Ele foi ainda semifinalista nas Olimpíadas de Tóquio, e atualmente é considerado o terceiro homem mais veloz da história do Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários