Marina Ferrari não tem grande destaque no jogo
Reprodução/PlayPlus
Marina Ferrari não tem grande destaque no jogo


Supostos fãs de Marina Ferrari enviaram um carro de som para a peoa na manhã desta terça-feira (16) . O recado sonoro tentava fazer com que a influenciadora e Gui Araújo engatassem um romance e se esquecessem do mundo externo.

A pergunta que fica para mim é: a quem interessa isso?


Começamos pela própria influenciadora. Marina está na Fazenda até hoje porque vem apresentando uma participação tão inexpressiva que até virar alvo dos demais fica difícil.

Chegou a ser indicada para a roça uma vez ao ser puxada da baia por Erasmo – o modelo parecia ter levado uma mágoa contra ela daqui de fora. Virou fazendeira por mérito e teve a chance de ganhar mais protagonismo no jogo. Nada aconteceu. Provavelmente Marina seja assim mesmo, mais contida na vida real. Não há problema nenhum nisso. Só não tem muita graça para o jogo.

Assim, impressiona alguém pensar em gastar energia com uma participante que não rende. Se a mensagem ainda fosse algo do tipo “Marina, acorde. Aproveite a chance antes que acabe”, faria mais sentido.

Leia Também

Leia Também

Mas aí vem o outro ponto: a sugestão de romance com Gui Araújo. O caso parece bem resolvido para a influenciadora. Soa atrasada demais a mensagem aconselhando um relacionamento entre os dois. Marina não precisa dele para nada.

Vale lembrar que, desde quando os flertes entre eles começaram, a trajetória do Gui só caiu. Ele, que chegou como um dos peões mais promissores, se perdeu no mau-humor, no excesso de amor-próprio e nas intermináveis palestras carregadas de arrogância e prepotência. Por que querer ligar Marina a ele agora?

O fato é que carro de som mais atrapalha do que ajuda o peão. O participante do reality não tem ideia de como as coisas que acontecem no confinamento repercutem do lado de fora. Ao enviar uma mensagem descontextualizada lá para dentro, além de não ter a garantia que vão entender o recado corretamente, a interferência serve mais como gatilho para inseguranças do que para apoiar quem está lá dentro.

Resumindo: esse carro de som de hoje é muita falta do que fazer.

Seguimos...

*As ideias e opiniões expressas neste texto são de exclusiva responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, as opiniões do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários