Ari Júnior (1968-2016), cinegrafista da Globo morto no acidente do Chapecoense
Reprodução/Facebook
Ari Júnior (1968-2016), cinegrafista da Globo morto no acidente do Chapecoense

A Globo foi condenada a indenizar Alisson Carlos Araújo Silva, filho do cinegrafista Ari Júnior, morto na queda do avião da Chapecoense em 2016. A emissora deve pagar uma indenização de R$ 300 mil ao herdeiro do ex-funcionário, uma das 71 vítimas do acidente.

Segundo o site Notícias da TV, Alisson entrou na Justiça alegando que a emissora não cumpriu com o acordo da indenização. Ari Júnior trabalhou na Globo por quase 20 anos e era um dos funcionários do canal de televisão que estava no voo.

A Globo pagou a indenização ao filho do cinegrafista, mas descontou R$ 196,124,53 relativos ao Imposto de Renda. Foi por conta dessa redução que Alisson abriu um processo contra a emissora, os advogados dele argumentam que em casos de indenização não cabe redução por impostos. Na visão deles, a empresa deveria arcar com o custo dos impostos sem abatê-lo no valor pago.

O caso foi a julgamento na 28ª Vara Cível do Rio de Janeiro. O juiz Erick Scarpin Brandão entendeu que a Globo não deveria ter descontado o valor do Imposto de Renda da indenização diz que a emissora quebrou o princípio de boa-fé, pois não pagou integralmente o que foi combinado.

O canal de televisão deve pagar uma indenização de R$ 300 mil ao filho do cinegrafista Ari Júnior. Além disso, também deve arcar com os custos processuais e com os honorários dos advogados de Alisson.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários