Na última semana, Drauzio Varella comoveu telespectadores da Globo  ao abraçar Suzy de Oliveira, uma detenta transexual que não recebe visitas há mais de oito anos. Todavia, no último domingo (08), o Antagonista divulgou que a mesma foi presa por estuprar e estrangular uma criança em 2010. 

Leia também: Drauzio Varella emociona ao mostrar a vida de mulheres trans nos presídios

Suzy de Oliveira%2C detenda trans abraça por Drauzio Varella arrow-options
Reprodução Instagram
Suzy de Oliveira, detenda trans abraça por Drauzio Varella

Susy , cujo nome de batismo é Rafael Tadeu de Oliveira dos Santos, cometeu o crime em maio de 2010, no bairro União de Vila Nova, na capital paulista. De acordo com os autos de um pedido de revisão criminal feito pela defesa à Justiça, após abusar da vítima, um menino de nove anos, "com a finalidade de assegurar a impunidade pelo crime anterior, a peticionária matou o ofendido mediante meio cruel, consistente em asfixia, e se valendo de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, haja vista tratar-se de criança, com mínima capacidade de resistência".

Leia também: "Parei de fumar de vergonha", diz Drauzio Varella

Em depoimento à Justiça, uma tia afirmou que a transexual foi uma criança que "roubava, mentia, não ia para a escola". E acrescentou: "Até os 12 anos, coisas de criança. Mas depois dos 12, começou a roubar com arma, usava maconha". Ela mencionou, ainda, que o então sobrinho já tinha sido acusado de abusar de uma criança de 3 anos.

Drauzio Varella entrevistou mulheres trans que estão na cadeia arrow-options
Reprodução/Globo
Drauzio Varella entrevistou mulheres trans que estão na cadeia

Leia também: "Ministério da Saúde tem sido impecável", diz Drauzio Varella sobre coronavírus

Com a alta repercussão da informação, Drauzio Varella passou a ser alvo de críticas nas redes sociais. Em resposta, ele declarou: "Sou médico, não juiz". 

    Veja Também

      Mostrar mais