Tamanho do texto

Em entrevista, Fabiana Karla relatou seus traumas no trânsito e as medidas preventivas que tomou para evitar que tais episódios voltem a acontecer

Na noite da última quarta-feira (13), foi ao ar no "TV Fama", noticiário de famosos da RedeTV! , uma entrevista com Fabiana Karla, apresentadora do "Se Joga", da Globo . Durante o papo, a ela falou sobre o episódio que viveu em 2015, quando seu carro foi atingido por tiros no Rio de Janeiro. 

Leia também: Sophia Abrahão fala das dificuldades do "Se Joga", planos na Globo, Lula e mais

arrow-options
Divulgação / TV Globo
"Se Joga"

"De algumas coisas eu sinto um resquício desse trauma. Às vezes tem muita gente em um lugar, ou no carro alguém vai muito rápido, eu fico um pouco nervosa", iniciou  Fabiana Karla . "Para fugir disso tudo, eu vou meditanto e ressignificando as coisas, e vai embora", completou a co-comandante do " Se Joga ", que não abre mão do carro blindado para sair de casa.

Leia também: Sem audiência e criatividade, “Se Joga” é um tiro no pé da Globo

"Eu já tinha um carro blindado, mas tem de estar renovando sempre, porque há uma questão de documentação pelo carro blindado e tudo mais. Então, eu troquei de carro, passei por um novo sistema porque não posso ficar sem (blindagem) depois do episódio que aconteceu comigo", declarou.

Em maio de 2017, Fabiana voltou a ser alvo da violência, mas em Recife, Pernambuco, durante uma viagem em família. Em seu Instagram, na época, ela explicou o que aconteceu e falou do desespero de não só ela, mas sua filha ser ser alvo de uma arma. 

arrow-options
Reprodução Instagram / @FabianaKarla
Fabiana Karla

Leia também: Globo cancela "Se Joga" da programação; entenda o motivo

"Fui vítima de outra violência e acho que foi mais traumática ainda, pois a arma estava apontada para minha filha e o namorado dela, e eu não conseguia fazer nada! Queria que meu tórax virasse um escudo pra protegê-los", finalizou a apresentadora do " Se Joga ".