Tamanho do texto

Reportagem sobre reformas em uma unidade de ensino tornou-se uma guerra entre a emissora de televisão e a prefeitura do Rio de Janeiro

Na última quarta-feira (11) a prefeitura do Rio de Janeiro divulgou um vídeo em que acusa Susana Naspolini, jornalistada Globo , de forjar uma "grande farsa" e expor estudantes "de maneira covarde" em uma reportagem exibida plo "RJTV" na última sexta (06).

Leia também: "Pega ladrão": jornal da Globo flagra assalto ao vivo no Rio de Janeiro

Susana%2C a repórter da Globo arrow-options
Reprodução/ TV Globo
Susana, a repórter da Globo

Intitulado de "A Farsa da Globo ", o vídeo da prefeitura alega que a jornalista "insinuou que as crianças da rede pública mal sabem escrever" ao mostrar na TV um caderno em que aparecem, em letras grandes, palavras com grafia errada, como casa com "z", feliz com "s" e escola com "x". 

Leia também: César Tralli está com um pé fora da Globo

Com trilha sonora apelativa e bucólica, as cenas mostram as crianças da mesma escola que a repórter visitou escrevendo e pronunciando as três palavras corretamente.

"A realidade é que algumas crianças ainda estão envergonhadas de terem sido expostas de maneira tão covarde", diz a locutora, com imagens de uma menina chorando.  Uma mãe de aluno, Vivian de Jesus, é apresentada como "testemunha" da suposta fraude jornalística.

"A Susana Naspolini pegou a caneta piloto [pincel Pilot] e escreveu no caderno enquanto fazia a reunião de pauta com pessoal dela, com o que ela ia fazer na reportagem. Eu a questionei sobre o bilhete, porque achei um insulto e [ela] chacoalhou o ombro pra mim e disse: 'Não posso agradar todo mundo'", denuncia Vivian.

"A reportagem tentou denegrir (sic.) o ensino público, mas acabou ridicularizando quem mal sabe se defender", continua a narradora do vídeo da prefeitura. 

Marcelo Crivella arrow-options
Sergio Marques/Parceiro/Agencia O Dia
Marcelo Crivella

Além do vídeo, na última quinta (12), a prefeitura do Rio, comandada por Marcelo Crivella , sobrinho de Edir Macedo, que é dono da Record, divulgou uma nota informando que está tomando medidas legais contra Susana. 

"É lamentável que, em sua sanha de perseguir o prefeito Marcelo Crivella, a [emissora global] se preste a um papel preconceituoso e covarde, atingindo a honra e a autoestima de jovens alunos da rede municipal de ensino e de seus professores", inicia o comunicado.

"Por isso, a Prefeitura do Rio vai processar a emissora pela matéria mentirosa e manipulada, que [apresenta um] texto com erros que foram escritos pela própria repórter", continua a nota que completa: "A administração municipal decidiu representar contra a repórter no Ministério Público para apurar eventual prática de crime de falsidade ideológica".

Na noite da última quinta (12), Mariana Gross, do "RJ1", leu hoje um editorial em que a emissora acusa o prefeito Crivella de deturpar a reportagem e alega que a repórter usou o caderno como forma de exemplificar o problema.

Mariana Gross arrow-options
Divulgação/TV Globo
Mariana Gross

“A gente lamenta a atitude do prefeito, que editou frases da matéria com a clara e condenável intenção de jogar as crianças contra a repórter. Susana é admirável pelo trabalho que faz. Nem a emissora nem a Susana jamais fariam uma reportagem expondo as crianças daquela forma”.

Leia também: Globo nega que César Tralli esteja de saída da emissora

“Susana usou um exemplo hipotético de uma redação com erros de português que tiraria nota baixa para comparar com prefeitura, que segundo pais de alunos ouvidos, não fez o serviço de reforma bem feito. Susana não disse em nenhum momento que um aluno da escola tinha escrito a redação com aqueles erros e a matéria não trata do desempenho escolar das crianças e a prefeitura do Rio divulgou um vídeo deturpando o que a ela disse”, assegurou a âncora da Globo . Até o momento, a prefeitura não voltou a se posicionar.