Tamanho do texto

Pannunzio ficou por mais de 20 anos na emissora. Na última semana, ele discutiu com secretário de comunicação de Bolsonaro

O jornalista Fábio Pannunzio anunciou na noite de quarta-feira (04) sua saída da Band após 20 anos. Ele ancorava o “Jornal da Noite”  e  chegou a subistituir Boechat no "Jornal da Band" após a trágica morte do âncora em fevereiro deste ano.

fabio pannunzio apresentando jornal arrow-options
Reprodução/ Band
Fábio Pannunzio

Depois de meses no ar, Fábio Pannunzio chamou atenção, assim como seu antecessor, por seus comentários políticos, e chegou a fazer desafetos no governo. Na última semana, ele chegou a discutir com o secretário de comunicação do governo de Bolsonaro, Fabio Wajngarten.Ele, porém, negou que sua saída tenha algo a ver com isso, e alegou recomendações médicas. 

“Saio para cuidar da saúde porque preciso ter, por recomendação médica, uma vida menos tensa e mais pacata”, escreveu o jornalista no Twitter. “Digo com muito orgulho que a Band é o lugar mais seguro para um jornalista trabalhar. A Band me deu uma carreira que eu jamais teria conseguido repetir em outro lugar. Me deu dois prêmios Esso e muitos outros, inclusive internacionais. Tenho orgulho desse reconhecimento. Como eu disse antes, em outro lugar não teria sido possível”, continuou.

Leia também: Fabio Pannunzio implora para ter conta verificada no Twitter e vira chacota

Fábio Pannunzio também negou que sua saída esteja relacionada à Wajngarten, e disse que os tuítes enviados pelo secretário de Bolsonaro aos seus chefes “eram motivo de chacota na redação”. Os dois trocaram acusações e o jornalista chamou o secretário de “dedo-duro que só sabe pedir a cabeça de jornalistas”.