Responsável por comandar o humor da  Globo , Marcius Melhem comentou a repercussão do esquete do humorístico "Zorra"que criticou a liberação de agrotóxicos no país. Apenas em 2019, o governo liberou 262 registros de defensivos agrícolas, de acordo com informações do próprio Ministério da Agricultura .

Leia também: Repórter da Globo relata mordida de cachorro: "20 pontos"

Divulgação
"Zorra"

Uma paródia do "Sítio do pica-pau amarelo", de Monteiro Lobato, "Sítio do pica-pau com sequela" foi veiculado na edição do " Zorra " do último sábado (03). O alcance do esquete foi ampliado ainda mais nas redes sociais depois que o deputado federal Sanderson (PSL), anunciou que entrou com um requerimento de moção de repúdio contra o vídeo .

Leia também: Sete atores que largaram a Globo para brilhar na Netflix

Segundo Marcius Melhem , a função do humor é "satirizar, provocar, ironizar e, com isso, além de fazer rir, levantar questões que fazem parte do dia a dia das pessoas".

"Respeitamos qualquer manifestação sobre nosso conteúdo. Mas a energia e o espaço gastos em notas e moções de repúdio poderiam ser usados para esclarecer melhor a população sobre o tema. O programa segue com seu conceito de 'tá difícil competir com a realidade'. Tudo o que impacta esse país que se diverte conosco todo sábado continua sendo tema para nós", comentou o comediante.

Leia também: "A Fazenda": Jornalista da Globo, cantor e nomes polêmicos entram no reality

Em seu segundo ano no ar desde uma grande reformulação, o " Zorra ", exibido na Globo , tem supervisão artística de Melhem e Daniela Ocampo e redação final de Gabriela Amaral e Celso Taddei.

    Veja Também

      Mostrar mais