Tamanho do texto

O dono da praça participou do "The Noite" dessa quinta-feira (16) e falou sobre sua carreira, a relação com seu pai, lembrou de Golias e muito mais

Na última quinta-feira (16), Carlos Alberto de Nóbrega participou do “The Noite” com Danilo Gentili e falou sobre seus 65 anos de carreira. O dono da "Praça", que é líder de audiência no SBT , falou da sua trajetória ao herdar o espaço que seu pai fazia sucesso na TV e venceu até a gagueira.

Leia também: Danilo Gentili ataca Marcius Melhem, chefe de humor da Globo: "covarde"

Carlos Alberto de Nóbrega elogia Tatá Werneck e revela troca de mensagens por disputa na TV
Gabriel Cardoso/SBT
Carlos Alberto de Nóbrega elogia Tatá Werneck e revela troca de mensagens por disputa na TV

“Acredito que ser filho do Manoel de Nóbrega era muito peso pra mim. Meu pai era poliglota, estudioso, tinha uma cultura muito grande e eu era um vagabundo. Era nadador, queria nadar, ganhar medalha. Fiz análise dez anos e meio”, relembrou  Carlos Alberto de Nóbrega  .

O apresentador também recordou o período em que ele era redator. “Eu escrevia [roteiros] escondido do meu pai, porque ele queria que me formasse em qualquer coisa, tinha que dar um diploma pra ele e dei, de advogado. Sempre fui mau aluno, repeti três anos”, confessou.

O dono da praça confessou que escrever para “Os Trapalhões” por 11 anos na Globo o deixou “de saco cheio”. “Era uma insatisfação. Pedi para sair, falei para o Boni que queria trabalhar com o Jô Soares”.

Leia também: Carlos Alberto fala de briga com Silvio Santos: "Estava desequilibrado"

Carlos Alberto de Nóbrega revela quem gostaria de levar para
Gabriel Cardoso/SBT
Carlos Alberto de Nóbrega revela quem gostaria de levar para "A Praça é Nossa"

A Praça é Nossa “ está há 32 anos no ar no SBT , mas antes Carlos Alberto fez a “Praça” na Band. “Fiz a ‘Praça’ na Band, o Silvio me tirou de lá no mesmo dia. A ‘Praça’ não daria certo em outra emissora. Deu certo porque o Silvio e a equipe de diretores confiava e confiam no meu trabalho. Eu faço o que eu quero e nunca, em 32 anos, deram um palpite. E tudo que o Silvio me prometeu, ele cumpre”, fala.

Durante a entrevista, quando falou sobre o Golias, ele foi às lágrimas ao lembrar do dia que o encontrou nos corredores do SBT : “Ele estava com um câncer na garganta, falando com dificuldade. Eu o encontrei no estúdio, falei para ir para casa se curar, ele sabia que não ia voltar mais. Esse dia foi pior do que quando ele morreu”.

“Ele foi o irmão que eu não tive, me ensinou a ser humilde, a respeitar horário, decorar. Era o cara de dizia coisas que eu não gostava de ouvir. Ele me faz mais falta como amigo que como profissional", emociona-se.

Já sobre os humoristas atuais, o apresentador não economizou em elogios para a atual concorrente, Táta Werneck, que apresenta o talk show “Lady Night” e nas quintas-feiras bate de frente em questão de audiência com “A Praça é Nossa”. "Eu adoro a Tatá Werneck, ela é a Dercy Gonçalves do século 21. Quando vi que íamos ficar no mesmo horário tive medo, mandei uma mensagem: 'Covarde, você me elogiou tanto no seu programa, agora vai me detonar'. Ela respondeu: 'tem lugar para todo mundo'”, conta.

Leia também: Larissa Manoela passa o dia em gravação na Globo e surpreende fãs

Carlos Alberto de Nóbrega participou de
Gabriel Cardoso/SBT
Carlos Alberto de Nóbrega participou de "The Noite" dessa quinta (16)

Quando Danilo pergunta quem poderia sentar no banco da praça ao seu lado, Carlos Alberto de Nóbrega sugeriu três nomes da Globo . “Gostaria que o Marcius Melhem e o Adnet viessem um dia. Não precisa nem ‘fazer graça’. Se o Renato Aragão sentasse um dia no banco da praça, eu estaria realizado”, confessa.