Arrebatadora. É dessa forma que “Por Amor” pode ser classificada. Há poucos dias, a trama de Manoel Carlos, que conta com grandes nomes como Regina Duarte, Fábio Assunção, Vivianne Pasmanter e Gabriela Duarte no elenco, começou a ser reexibida, pela segunda vez, no “Vale a Pena Ver de Novo” (a primeira foi em 2002), provocando uma comoção nas redes sociais.

Leia também: Mel Lisboa diz que Fábio Assunção é "tão adorável" que chega a dar "raiva"

Fábio Assunção e Vivianne Pasmanter sorrindo, lado a lado
Reprodução/Instagram
Fábio Assunção e Vivianne Pasmanter


A novela, que originalmente foi ao ar em 1997, ainda teve reprises no Canal Viva (2010 e 2017) e compactos no extinto “Vídeo Show”, no quadro “Novelão” (2012 e 2015). A história de Helena (Regina), mãe que, por amor, troca seu filho vivo pelo bebê morto da filha e do genro, Eduarda (Gabriela) e Marcelo ( Fábio Assunção ), emociona e gera declarações apaixonadas até hoje, provando que seu sucesso é realmente atemporal.

Leia também: Famosos defendem Fabio Assunção: “Mais humanidade aos seres humanos”

“Maneco fala de humanidade e o público se identifica. Não ficou uma coisa datada, em qualquer época a história interessa. “ Por Amor ” se tornou um clássico e, a cada reprise, a história marca uma geração”, analisa Vivianne Pasmanter , intérprete da vilã Laura.

Fábio, na novela, era casado com Eduarda e assediado constantemente pela ex, Laura. O ator, que na exibição original tinha apenas 26 anos, elogia as parceiras e lembra que a trama dividiu opiniões sobre o tema central.

“Foi prazeroso dividir a cena e aprender com elas. A novela foi polêmica, principalmente na questão da ética médica. A troca dos bebês, um segredo que custaria a felicidade de muitos personagens, representava este amor incondicional da mãe pela filha, e esse erro trágico”, destaca o ator, que ainda se recorda da cena emblemática.

Leia também: "Já foi", diz Fábio Assunção no "Conversa Com Bial" sobre relação com as drogas

“Me lembro até hoje da cena final, gravada no Jardim Botânico, com os dois casais principais, Marcelo e Eduarda, Atílio (Antonio Fagundes) e Helena, com a criança. Foi um grande acerto!”, elogia.

Manoel Carlos ainda escreveu papéis inesquecíveis para Susana Vieira, a Branca Letícia de Barros Motta, vilã-mor com nome e sobrenome e mãe do personagem de Fábio Assunção ; o casal mais “shippado’’ na época, Nando (Eduardo Moscovis) e Milena (Carolina Ferraz); além de Orestes, o alcoólatra de Paulo José, que matava o público de pena.

    Veja Também

      Mostrar mais