Tamanho do texto

O ano de 2018 não foi muito bom para algumas emissoras, que viram algumas de suas apostas fracassarem; quem mais saiu perdendo foi a Band

O ano de 2018 não foi muito bom para alguns programas de televisão , que não agradaram muito ao público e despencaram na audiência. Mesmo assim, alguns deles continuam na grade de programação de suas emissoras, outros foram tirados do ar, como o “Superporerosas”, da Band.

Leia também: Band estreia programa para competir com "Encontro com Fátima Bernardes"

Reprodução Instagram
"Vídeo Show" e mais programas não deram certo na TV em 2018


Com o final do ano batendo na nossa porta, os programas que deram errado não poderiam ficar de fora da retrospectiva 2018 . Confira nossa lista.

“Melhor da Tarde”

Reprodução
"Melhor da Tarde", com Cátia Fonseca


Cátia Fonseca estava há 15 anos à frente do “Mulheres”, na Gazeta, até que no dia 1º de março desse ano ela iniciou uma nova fase e passou a apresentar o “Melhor da Tarde”, na Band. Na época, muito se foi comentado sobre a mudança de Cátia.

Muito se foi falado sobre o novo programa, mas antes mesmo de completar um mês no ar, o novo programa já não estava agradando. Nada de novo pôde ser observado, muito menos “melhor”. A atração não segue nenhum cronograma e cada dia é uma “caixinha de surpresas”. Apesar da decepção, Cátia segue no ar com o “Melhor da Tarde”.

“Tricotando”

Reprodução/Instagram
"Tricotando", da Rede TV!


No final de outubro, a Rede TV! Estreou com o “Tricotando”, mais um programa de fofoca na TV. A princípio, Rosana Jatobá, contratada pela emissora, ficaria à frente da atração, mas uma incompatibilidade de horário a impediu de assumir, já mostrando que problemas estariam por vir.

Na atração, apresentada por Lígia Mendes e Franklin David, que, aliás, não têm sintonia nenhuma, nada de novo foi apresentado, apenas pautas frias ou que já foram perdendo o foco durante o dia, já que a atração é exibida já no início da noite.

Além disso, o “Tricotando” conta com quadros clichês como “Tricotadas na Internet” e “revelações” dos famosos em “Cinco coisas que...”. Desde sua estreia o programa divide opiniões nas redes sociais.

“Os Melhores Anos de Nossas Vidas”

Reprodução/Instagram
"Os Melhores Anos de Nossas Vidas", da Globo


Também em outubro estreou “OS Melhores Anos de Nossas Vidas”, na Globo. Comandado por Lázaro  Ramos, o game mostra uma disputa entre épocas com a presença de famosos e tem uma plateia participativa.

Logo em sua estreia, a atração não alcançou bons índices de audiência e chegou a ficar atrás de “A Fazenda”, da Record, e “A Praça é Nossa”, do SBT, em alguns momentos.

“Os Melhores Anos de Nossas Vidas” divide opiniões nas redes sociais e está em sua primeira temporada. Ainda não se sabe se teremos uma segunda temporada da atração.

“Vídeo Show”

Divulgação/TV Globo
"Vídeo Show", da Globo


O novo formato do “Vídeo Show”, que começou a ser exibido pela Globo em julho de 2018, foi alvo de muitas críticas. Com a reformulação, o programa passou a ser apresentado, além da veterana Sophia Abrahão, pelas ex-BBBs Ana Clara, Vivian Amorim e Fernanda Keulla.

Fernanda e Vivian, apesar de uma certa afinidade como apresentadoras, passam longe da experiência necessária para aguentar um ao vivo de uma hora. Ana também não foi aprovada de demonstrou certo nervosismo.

Leia também: “Vídeo Show”: 6 dicas para melhorar a atração que tropeça em audiência na Globo

O resultado disso tudo é um programa que, para muitos, virou amador e, por conta da concorrência, o “Vídeo Show vem perdendo sua relevância. Recentemente, o formato foi mudado novamente e Joaquim Lopes voltou para o programa ao lado de Sophie e Ana Clara. Fernanda e Vivian saíram.

"Superpoderosas"

Reprodução/Band
"Superpoderosas", da Band


O “Superpoderosas”, da Band, veio para brigar com o “Encontro com Fátima Bernardes”, da Globo. O programa, fruto da “Escola de Você”, plataforma digital dedicada ao público feminino criada por Ana Paula Padrão e Natália Leite, estreou em abril desse ano.

Desde o início a atração registrou índices muito baixos em sua audiência, perdendo até para a Rede Vida. Sete meses depois, a Band  tirou a atração do ar e demitiu toda a equipe, inclusive os apresentadores Natália Leite e Daniel Bork.

“Agora é Domingo”

Reprodução/Band
"Agora é Domingo", da Band



Em abril, a Band estreou com o “Agora é Com Datena”, um programa longuíssimo, com seis horas de duração, assim como programas de televisão mais antigos, ou seja, já chegou sendo algo pra lá de cansativo.

Pouco tempo depois da estreia, José Luiz Datena se afastou do programa por conta de política. Ele iria se candidatar ao cargo de Senador, mas desistiu. A atração passou a chamar-se “Agora é Domingo”, com a apresentação de Joel Datena, mudando completamente seu formato.

Mais “jornalístico”, o programa passou a ter mais a ver com a própria emissora, que sempre teve seu jornalismo forte. Em julho, José Luiz Datena voltou a comandar o programa e acabou espantando a audiência da Band.

"Canta Comigo"

Record TV/Antonio Chahestian
"Canta Comigo", da Record TV


No meio do ano,  "Canta Comigo", reality show musical,  estreou na Record TV com o comando de Gugu no mesmo formato do programa britânico "All Together Now". Na atração, os artistas se apresentam para uma plateia de um corpo de jurados, assim como outros do mesmo estilo, mas nesse caso, são 100 jurados que compõem um imenso painel colorido que mostra se eles apreciam ou não quem está se apresentando.

Leia também: A Record não aprendeu nada com “A Casa”?

Tumultado e pouco atraente, o programa não deu certo e entra na lista dos programas que fracassaram em nossa retrospectiva 2018.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.