Tamanho do texto

Cantora Pabllo Vittar fez revelações sobre sua vida amorosa a Pedro Bial e diz que não se relaciona mais com seus fãs após situações desagradáveis

Em entrevista para o programa “Conversa com Bial” nesta quarta-feira (21), a cantora Pabllo Vittar afirmou estar interessada por um crush que conheceu durante um show.

Leia também: Não para não! Pabllo Vittar posa de lingerie na cama para divulgar novo álbum

Pabllo Vittar participa do programa
Reprodução/TV Globo
Pabllo Vittar participa do programa "Conversa com Bial" da TV Globo e fala sobre sua vida amorosa e fake news


No programa, Pabllo Vittar falou sobre sua vida amorosa. “Saí do meu show e conheci uma pessoa. Não beijei, nem nada. Só fiquei encantada. Falei para as minhas amigas que estava ficando apaixonada", disse ela. A cantora ainda disse que já trocou mensagens com a pessoa, mas que ainda não tinha rolado nada sério.

O novo crush da cantora mandou uma música para ela mostrando que está interessado: “Ele me mandou uma música. Não vou nem falar o que falava na letra. Pelo que eu entendi ele queria o meu corpo 'seduzente' total de prazer. Torçam por mim", continuou ela.

Leia também:  Pabllo Vittar, Katy Perry e as fake news mais bizarras do mundo da música

Vittar ainda afirmou que não se relaciona mais com fãs após uma experiência ruim. "Uma vez fiquei, a gente se beijando e ele perguntou quando era o próximo single, como era a montação, qual era o próximo clipe. Não dá", finalizou ela.

 Pabllo Vittar fala sobre fake news 

Pabllo Vittar
Reprodução/TV Globo
Pabllo Vittar


Durante o programa, a cantora falou também sobre a sua carreira e afirmou que não pretendia sair do Brasil. "Meus amores, não vou sair do Brasil, nenhum negro vai voltar para a senzala e nenhum gay para o armário. Foi a chamada fake news, acham que muita coisa que está na internet é verdade", disse ela.

Leia também: Pedro Bial dá selinho em Pabllo Vittar e dispara: "Estou meio Hebe hoje"
Pabllo Vittar ainda rebateu críticas sobre não se manifestar politicamente. “As pessoas me perguntam porque minha música não é mais política. Eu sou uma 'Poc' que sobe no palco num País que mais mata LGBT. Se isso não é uma forma de fazer política, não sei o que é", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.