Tamanho do texto

Apostando em ex-BBBs de sucesso e Sophia Abrahão, “Vídeo Show” não soube se renovar e novo formato parece amador e fraco

Sophia Abrahão , embora não seja unanimidade no gosto da crítica e do público, conseguiu conquistar seu espaço no “Vídeo Show”. A atriz e cantora, embora menos desenvolta que o companheiro Otaviano Costa, conseguiu se soltar mais na atração ao longo dos últimos anos.

Com ex-BBBs e Sophia Abrahão
Reprodução Instagram
Com ex-BBBs e Sophia Abrahão "veterana", "Vídeo Show" diminui ainda mais relevância e perde terreno entre os vespertinos

Agora, com a reformulação do programa, porém, ela deixa de ser a novata para virar veterana. E a mudança não caiu nada bem. Com formato estreado na última segunda-feira (16), Abrahão divide a bancada do “ Vídeo Show ” com ex- BBB s de edições diversas.

Leia também: Disputa acirrada! Programas de fofoca brigam pela audiência vespertina da TV

Ao seu lado está Fernanda Keulla, vencedora da 13ª edição do reality, e já uma cara conhecida nos bastidores, fazendo pontas nos programas relacionados à “BBB”. Keulla se reveza com Vivian Amorim, que foi vice em 2017, e conta com um grupo devoto de fãs.

Para completar, a nova queridinha Ana Clara, que chegou a final do “BBB 18”, ficou responsável pela interação com os fãs na internet. No começo da semana ela ficava fora do estúdio, mas já na quarta-feira (18) foi realocada para interagir direto com as outras três, o que pode ser o primeiro sinal de preocupação da produção.

Leia também: Alinne Prado desabafa sobre racismo e a nova fase de “Vídeo Show”

Amadoras

Embora Keulla e Amorim tenham certa afinidade como apresentadoras, elas estão longe da experiência necessária para aguentar um ao vivo de uma hora. A interação com Sophia também não convence e a sensação do expectador é que Abrahão não está nada a vontade com as novas colegas de trabalho.

Ana Clara, que tanto gerou expectativas, está claramente nervosa e tem dificuldade na interação. Apesar da estudante de jornalismo se esforçar, principalmente nas entrevistas on-line, falta um “jogo de cintura” que a deixa engessada, apenas lendo tuítes enviados pelo público.

Tecnologia contra e quadro fraco

Mesmo se esforçando, Sophia Abrahão não parece confortável com novas colegas
Reprodução
Mesmo se esforçando, Sophia Abrahão não parece confortável com novas colegas

As entrevistas, aliás, tem sido um problema. Ao longo da semana elas conversaram com Felipe Simas por telefone e com Gabriela Duarte por vídeochat, para citar alguns exemplos. Nenhuma delas foi particularmente proveitosa e, unindo os problemas de conexão com o desconforto das apresentadoras, resultaram em conversas rasas e sem nenhum apelo.

Por falar em apelo, a produção pegou pesado com o novo quadro “Gente que Vê a Gente”. A ideia é mostrar personagens que são fãs da programação da emissora e tem alguma história interessante de superação para contar. Parece algo saído da mente de Luciano Huck e seria mais adequado apresentado por ele aos sábados.

No “Vídeo Show”, no meio da tarde, fica apelativo e cansativo, considerando que é longo e chega a ocupar dois blocos. O objetivo do programa sempre foi mostrar os bastidores da Globo e, principalmente, dos talentos da emissora.

Além disso, alguns quadros que estavam engavetados para a semana de estreia não caíram bem. A produção, por exemplo, acompanhou a gravação do novo videoclipe do Nego do Borel, para a faixa Me Solta. O problema é que o mesmo vídeo foi lançado uma semana antes e sofreu duras críticas de que o cantor se aproveitou da causa LGBT para se promover. Sem nem citar as críticas, a matéria foi apresentada normalmente.

Seguidores

Um dos trunfos de Sophia para o programa era sua forte presença on-line. Com cerca de 4 milhões de seguidores no Instagram, ela garantia um público mais jovem e conectado para a atração. Agora superada por Ana Clara, que soma 7 milhões na mesma rede, ela precisa mostrar por que ainda é necessária.

Leia também: Tentando conquistar a internet, “Vídeo Show” fica confuso e bobo

O “ Vídeo Show ” já não tem a relevância de outras épocas e com a forte concorrência das outras emissoras, que investem nas fofocas das celebridades globais, o programa parece mais irrelevante do que nunca. A não ser que uma mudança extraordinária ocorra, o programa deve continuar perdendo audiência, como faz hoje, constantemente sendo superado pela Record.

    Leia tudo sobre: bbb
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.