Tamanho do texto

Depois de trabalhos em "Floribella" e "Malhação", atores integram elenco adulto da nova série brasileira da Disney que estreia nesta segunda (3)

Suzy Rêgo e Nuno Leal Maia têm currículos extensos na TV brasileira, mas os jovens que cresceram nos anos 2000 lembram dos atores principalmente por seus papéis em séries juvenis: a atriz esteve em "Floribella", da Band, enquanto o ator fez "Malhação", na Globo.

Leia também: Com atores novatos e surfistas renomados, Disney lança série brasileira "Juacas"

Suzy Rêgo em cena de
Divulgação
Suzy Rêgo em cena de "Juacas", nova série brasileira da Disney que estreia nesta segunda-feira (3)

A partir desta segunda-feira (3), Suzy Rêgo e Nuno Leal Maia estarão prontos para encantar os jovens dos anos 2010. Eles estão em "Juacas" , nova série da Disney. "Nós somos muito joviais também", disse Suzy, em entrevista ao iG , sobre o novo trabalho.

A atriz interpreta a Dona Juma, mãe de Brida e dona do PICO, o restaurante que os surfistas frequentam. Já Nuno é o professor Juaca, que formou vários surfistas lendários no passado e volta após um longo período longe do esporte para treinar mais uma equipe.

Leia abaixo a entrevista com os atores:

iG: Como foi o trabalho com esses jovens atores?
Suzy Rêgo:  Uma palavra que eu poderia citar é paixão. Muitos deles estão chegando agora, já são profissionais em outras áreas. Mas todos são muito frescos, jovens, curiosos, divertidos, energéticos. Uma troca fantástica, muito rica. A Disney e a CineFilme, toda essa equipe gigantesca, nos deu muito suporte para trabalhar junto, uma grande harmonia. O Nuno é o xodó desses moleques. Eles não o cumprimentam, eles pulam em cima do Nuno, eles agarram o Nuno. Isso traz exatamente o que é o "Juacas". Saúde, natureza, bem estar, amizade, competição saudável. Acho que temos elementos muito ricos para o sucesso certeiro dessa série. Com certeza vai encantar todas as idades.

Nuno Leal Maia:  É uma coisa que partiu de toda a equipe, desde a maquiadora. Um bom humor, acordando 5h da manhã. De manhã, mesmo com aquela cara. Todo mundo trabalhou com muito empenho e vontade de fazer um trabalho bacana. Isso contribuiu muito para que se conseguisse isso. Essa ansiedade toda de querer estrear, ver o produto pronto, foi muito motivado pela vontade com que foi construída essa série. Trabalhar com a garotada é muito estimulante.

Suzy:  Eles vêm com um trabalho que é permeado por muita disciplina. O Nuno podia levantar às 5h porque não precisava de maquiagem. As meninas levantavam às 4h. Tinha horário certinho de levantar, de tomar café, mais de 100 pessoas. O horário certíssimo de começar o trabalho, o elenco pronto, abrindo câmera às 7h da manhã. Um sol, que por mais que você meditasse, aquilo fritava.Todo mundo muito focado. Cada um sabendo sua função e sua responsabilidade. Quando você coloca isso para crianças pequenas, para adolescentes que às vezes podem ser meio dispersos, mas eles tinham isso, essa prontidão. Todo mundo sabia que às 16h a câmera estava fechada, e aí tinha-se a liberdade de viver a Bahia, viver Itacaré e outros lugares próximos, sabendo que no dia seguinte era a mesma coisa.

Nuno:  Todo mundo trabalhava com muita vontade. Não vi ninguém que chutasse o pau da barraca, a não ser eu. Teve um dia que fiquei perturbado com um negócio de família. Mas foi um trabalho sensacional.

iG: As gravações foram no ano passado. Como é a relação entre vocês hoje?
Nuno:  Criou-se um grupo no WhatsApp da família "Juacas" e eles ficam falando o tempo todo. Eu evito falar, não aguento, é demais. Falam pra caramba, o tempo inteiro.

Suzy:  Todo mundo continua junto após o trabalho. O grupo é muito ativo. Nós terminamos de gravar há um ano e eles não param. Entendo isso como saudade, carinho e essa manutenção da amizade que se formou. O grupo também é muito animado, muito pra cima, divertido. Todo mundo é muito democrático também. Acho que nós contribuímos um pouquinho para isso.

Nuno:  Eles fizeram uma proposta de fazer uma família. Essa coisa da família juntou todo mundo, uniu todo mundo e empurrou essa coisa muito bem até o final.

Leia também: Com Messi e CR7 mirins, Disney celebra o futebol latino em série empolgante

iG: Eles ficaram impressionados com vocês?
Nuno:  Quando cheguei em Santa Catarina pela primeira vez, eles ficaram meio na espreita, pensando "que bicho é esse?".

Suzy: Eles esperaram a chegada da atriz. Nós fomos fazer vivências com eles. Eles passaram um mês e meio morando no Padaratz House. Já tinha o primeiro líder deles, que era o Teco. O Teco é um líder, você não sabe o botão onde desliga. Eles esperaram a chegada da grande atriz e encontraram uma colega. Você precisa se afinar com todos, respeitar todos da equipe, respeitar a posição de cada. Nós pudemos vivenciar isso com muita gratidão. Nós, veteranos, estamos aí na ativa, eles, iniciantes, muito bem recebidos. A produção primorosa, muito exigente, mas ao mesmo tempo muito suporte. Suporte emocional, físico. As pessoas estão vivas, elas têm dor de barriga, têm saudade, têm que se habituar em um outro lugar. Eu disse pra eles que eles ganharam um grande presente.

Nuno Leal Maia e Teco Padaratz em cena de
Divulgação
Nuno Leal Maia e Teco Padaratz em cena de "Juacas"

iG: O nível da produção foi o que vocês esperavam?
Nuno:  Em termos de produção, não tenho do que reclamar.

Suzy:  O nível é muito alto, fomos tratados como reis e rainhas. As pessoas são muito carinhosas, fizeram várias festas para todos nós. Mesmo todo mundo meio cansado.

iG: Qual é a importância de uma série sobre esportes voltada para jovens?
Nuno:  É sempre importante fazer um trabalho sobre esporte para estimular o jovem a ter uma outra visão da vida, usar o corpo a favor do esporte. Mente sã, corpo são. Isso já diz tudo. É importante fazer uma série com esporte, acho bacana. Gosto, sou suspeito em falar.

Suzy:  É uma importância muito grande. Uma criança vê e fala "puxa, me inspirei naquilo". A cidade pode não ter mar, mas a criança pode achar bacana a mensagem passada. Às vezes não é só especificamente um esporte, mas incentiva crianças a decidirem destinos turísticos. É tão lindo, é incrível. Você está mais próximo à natureza, tenta fazer opções de desconexão para conexão. Sair um pouco do virtual e botar o pé na areia, sentir o calor do sol, experimentar uma fruta da região, viver mais perto dos seus amigos e familiares, tendo momentos de vivência. É incentivador. É um lugar para onde quero voltar com minha família inteira e quero que meus filhos tenham mais aproximação com o mar, que é uma coisa incrível e que no Brasil é tão rico. Vamos sair um pouquinho do computador e sentir o vento no resto.

Leia também: Mesmo sem falar espanhol, brasileiro entra para o elenco de nova série da Disney

iG: Como vocês vêm esse boom de produções nacionais na TV paga?
Suzy:  Para nós, quanto maior for a abertura do mercado, melhor. Mais qualidade, melhores profissionais, mais prêmios pro nosso Brasil que tem um potencial gigantesco, criativo, técnico. Mais produções em que podemos ter outras trocas. Temos em nossa série o Juan Sancho, que é argentino, e queremos fazer isso. Temos atrizes e atores da Disney em outros países da América Latina. Então isso é tão bom, esse intercâmbio cultural e profissional. Temos possibilidade de fazer excelentes trabalhos.

Nuno:  A América Latina é um mercado enorme, extenso, mal aproveitado. Agora que estamos começando a trocar figurinhas.

Suzy:  Fica aí nossa torcida para ter cada vez mais projetos como esse, que vem coroar a Disney com um perfil brasileiro.

Com Suzy Rêgo e Nuno Leal Maia, "Juacas" estreia nesta segunda (3), às 19h, no Disney Channel.