Tamanho do texto

Autor de vários sucessos, Manoel Carlos falou de sua maneira de criar histórias em entrevista a programa da GloboNews. Veja o que o autor disse

Manoel Carlos falou de seus 65 anos de carreira  em entrevista ao programa "Ofício em Cena", exibido na noite de terça-feira (25) na GloboNews. O autor, de 83 anos, analisa o tipo de trama que escreve e das polêmicas que algumas de suas novelas já causaram.

Leia mais: Bruno Gagliasso recusa convite para novela de Walcyr Carrasco 

Manoel Carlos
Divulgação/Globo
Manoel Carlos


Com 15 novelas no currículo e muitos outros trabalhos na TV e no teatro como autor, diretor, produtor e até ator, Manoel Carlos  explicou o que gosta de produzir. "Dizem que eu faço uma dramaturgia realista, naturalista, mas eu não acho nada disso. Procuro apenas fazer uma coisa verossímel”, disse, citando como exemplo uma cena entre vizinhos que acabam de se conhecer. “Você se apresenta, oferece um café, começa a conversar, ela vê a foto da sua família, pergunta o que você faz... Pronto, a novela já começou. Eu me preocupo que seja assim, um bate-papo".

Leia mais: Lucélia Santos aparece como Escrava Isaura em sitcom

A ideia é que as pessoas se reconheçam em suas histórias. "Novela é que nem um carro, só começa quando você liga o motor. Não penso muito no que vou escrever. A audiência tem muita importância, a repercussão também, vejo se as pessoas gostaram, se está bem amarrado e vou construindo para dar certo. E mudo muito com as sugestões das pessoas”, conta.

Leia mais:  Relembre os famosos que já interpretaram médicos em novelas

Gabriela Duarte e Regina Duarte viveram os papeis de mãe e filha em
Divulgação
Gabriela Duarte e Regina Duarte viveram os papeis de mãe e filha em "Por Amor"


Troca de bebês

Com sucessos como "Laços de Família" (2000) e "História de Amor" (1995) no currículo, Maneco disse que a ideia para a troca dos bebês em "Por Amor" (1997): veio ao ler no jornal a notícia de que, no interior do Ceará, uma mãe que havia dado à luz no mesmo dia que a filha e trocou os bebês ao saber que o neto tinha morrido. “A troca de bebês foi um acontecimento porque ninguém acreditou que aquilo fosse possível. A Regina Duarte me ligou perguntando se eu achava mesmo necessário colocar essa cena. Foi uma comoção geral na época. Essas coisas parecem absurdas mas são muito possíveis", reflete Manoel Carlos, quase 20 anos depois.