Henri Castelli após briga em Alagoas
Reprodução Instagram
Henri Castelli após briga em Alagoas

Teve um desfecho o processo oriundo da confusão envolvendo o ator Henri Castelli. A briga aconteceu numa festa em Barra de São Miguel, em Alagoas, no final de 2020. Na época, o artista alegou que fora agredido e exibiu imagens dos hematomas que tinha na face. Os outros dois homens, o empresário Guilherme Aciolly e Bernardo Malta, envolvidos no episódio, disseram, na ocasião, que a confusão teria sido iniciada pelo artista.

Advogado do empresário, Lucas Doria afirmou que Guilherme e Bernardo aceitaram um acordo proposto pelo Ministério Público (MP). Eles deverão doar R$ 40 mil em cestas básicas para a população local. A primeira audiência aconteceu na manhã desta segunda-feira. Lá, conforme foi destacado pelo advogado, não foi discutida culpa no processo por lesão corporal.

"A audiência foi para fazer o acordo. Aqui em Alagoas, a gente está debaixo d'água, enchentes no interior e em todo canto... E esse processo tramita em São Miguel dos Campos (mesma jurisdição de Barra de São Miguel). Então o promotor do caso propôs que fosse feito o acordo para comprar cestas básicas, colchão, água e medicamentos para a população de São Miguel dos Campos. A gente aceitou esse acordo", explica o advogado sobre o caso, cujo desfecho não cabe recurso.

"Em momnto nenhum esse acordo representa um reconhecimento de culpa, é uma possibilidade de por um fim ao processo ", acrescenta ele em relação à decisão, embora a parte sustente que a ação de Guilherme foi em em legítima defesa.

O valor de R$ 40 mil será dividido entre Guilherme e Bernardo. O processo por lesão corporal será arquivado diante do cumprimento do acordo: "Nós, da defesa, entendemos que há uma nobreza neste acordo e esse dinheiro vai para quem está precisando."

Relembre o caso

Na época, Henri mostrou as lesões no rosto - ele precisou passar por procedimento cirúrgico - e também falou sobre o episódio. "Eu fui agredido covardemente, sem que eu pudesse reagir ou me defender. Eu estava com alguns amigos e, do nada, fui puxado pelas costas, pelo pescoço, jogado no chão e agredido. Vítima de socos e chutes no rosto, que levaram a uma fratura exposta na minha mandíbula. A impressão que eu tinha é de que minha boca estava pendurada naquele momento", diz um trecho da declaração dada por ele.

Na ocasião, a defesa deu outra versão. Alegou que Henri teria se dirigido a Bernardo para reclamar que a festa que ele cedeu os convites não estava legal. Eles, ainda conforme o advogado, teriam discutido: ""Foi aí que Henri Castelli deu um soco que atingiu Guilherme, que só revidou. Henri tentou agredir o Bernardo, o soco pegou no amigo Guilherme, que estava com ele no local. Esse amigo reagiu, de forma instintiva, recebeu um soco e deu outro logo em sequência".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários