Tamanho do texto

O vocalista do Ultraje a Rigor Roger Moreira comentou sobre livro que narra história de crianças torturadas na ditadura e causou indignação na web

Após compartilhar uma reportagem sobre o livro “Infância Roubada”, o vocalista do Ultraje a Rigor Roger Moreira recebeu críticas na web. O livro conta a história de crianças que foram exiladas, torturadas ou presas junto com os pais durante a Ditadura brasileira.

vocalista do ultraje a rigor roger moreira sorri para a câmera enquanto segura um violão
Reprodução
Roger Moreira

Leia também: Astrid evita polêmica no Twitter após briga com Roger: "Não quero tomar porrada"

Em sua publicação no Twitter Roger Moreira disse: “A culpa é dos pais dessas crianças. Foram presos por conspirarem contra o Brasil. Pensaram nas crianças ao se envolverem?”. O comentário causou debate na internet e o vocalista foi muito criticado.

Entre as respostas, uma delas foi do jornalista Flábio Pannunzio, âncora do “Jornal da Band”: “Quer dizer que você acha justificável o sofrimento imposto a essas crianças ? Não acha que está te faltando humanidade, companheiro?”.

Leia também: Tropicália emergiu como voz contra ditadura e ecoa até os dias atuais

tuite de roger flores sobre crianças violentadas na ditadura
Reprodução
Tuíte de Roger Moreira

Questionado por um seguidor se ele apoiava tortura , Roger disse ainda que a matéria é “sensacionalista e deturpada” e não menciona tortura em seu texto. A reportagem, porém, explica como alguns dos retratados no livro sofriam maus-tratos, ou eram forçados a ver os pais serem violentados.

Leia também: Roger Moreira ironiza campanha sobre assédio sexual e é bombardeado na rede

Infância Roubada ”, livro comentado por Roger Moreira,  foi lançado pela Comissão da Verdade do Estado de São Paulo Rubens Paiva e reúne a história de 40 pessoas entre 40 e 60 anos cujos famílias viveram no período da Ditadura.