Tamanho do texto

"Era japonesa, caipira, tinha sotaque, nada que 'combinasse' com a TV da época", revelou Sabrina Sato que hoje é apresentadora de um programa seu

A futura mamãe Sabrina Sato é uma das celebridades presente na edição especial de Marie Claire - 110 anos da imigração japonesa . A apresentadora concedeu uma entrevista a revista falando sobre sua herança nipônica, amor e seu relacionamento com Duda Nagle.

Leia também:Sabrina Sato revela que está sem sexo durante gravidez

Sabrina Sato exibe sua felicidade com a gravidez
Reprodução/Instagram
Sabrina Sato exibe sua felicidade com a gravidez

Na entrevista, Sabrina Sato contou que chegou a pensar que não faria sucesso na televisão. “Desde os sete anos, queria trabalhar na televisão, mas pensava: “Quem vai ser minha mãe na novela?”. Não tinha em quem me espelhar. Era japonesa, caipira, tinha sotaque, nada que “combinasse” com a TV da época. Tinha tudo para não dar certo.”

Leia também: Sabrina Sato x Mayra Cardi: o duelo das grávidas na mídia e redes sociais

Ela também explicou que sua mãe não a incentivava e que por esse motivo foi estudar dança a jornalismo. Comtemplada com um programa seu atualmente, a japinha ainda conta que não se imaginava na carreira de apresentadora. “Nunca passei em testes para ser apresentadora – tentei o Zona de Impacto, do SporTV. Mas não levava para o pessoal, talvez não tivesse o perfil”.

Durante o bate-papo, Sabrina ainda revelou se já foi alvo de algum fetiche asiático. “No cinema, em filmes do próprio Akira Kurosawa, sempre teve a erotização da mulher. Só senti isso de verdade quando posei para a Playboy. Lembro de ler bobagens do tipo: “Vamos ver se essa japonesa tem o risco igual ao olho”, em uma comparação à minha vagina. Mas nunca me coloquei numa posição de vítima”.

Sabrina Sato releva que ja teve relacionamento abusivo

Sabrina Sato
Reprodução
Sabrina Sato

Sabrina também chegou a revelar que já teve relacionamentos abusivos. “Antes dos 30, tive vários relacionamentos abusivos, mas não percebia. Fazia de tudo para agradar o cara, e ele só me fazia achar que estava errada. A pessoa tem total controle sobre você, e você acha que isso é amor. Não é”.

Leia também:Grávida, Sabrina Sato renova o bronzeado com Duda Nagle

“Relacionamento abusivo é doença. Tive um namorado que me ameaçava entrando na contramão na Avenida Paulista. E sóbrio. Dizia: “Vou acabar com a gente”. Não passo mais por isso”.

Sobre seu noivado com Duda Nagle, Sabrina lembra como os dois se conheceram. “Pelo Instagram. Já tínhamos nos visto, mas sempre com gente em volta e fazíamos muay thai com o mesmo professor. O Duda já tinha puxado assunto por mensagem e, um dia, bêbada, escrevi: “Quando vamos jantar? Ops, quando vamos treinar?”.

Sem medo de falar , Sabrina Sato ainda confessou que se achou muito atrevida quando fez o convite. “Fui oferecida e fingi que não fui. “Quando quiser”, ele respondeu. Ficamos juntos desde então”.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.