Tamanho do texto

O colunista Romário de Oliveira relembra histórias de leitores com os ensaios de Vera Fischer, Deborah Secco e até Chiquinho Scarpa

Durante os anos 1990, Romário de Oliveira foi um dos nomes mais importantes da Playboy no Brasil. Agora, ele assina uma coluna no iG para contar tudo dos bastidores de uma das revistas mais populares do País.

Leia também: Bastidores de Playboy: Marisa Orth causa barraco por causa de mal-entendido

Nudez de Chiquinho Scarpa em uma das edições da
Edu Cesar/iG
Nudez de Chiquinho Scarpa em uma das edições da "Playboy" revoltou um leitor; veja a história

Na coluna desta quinta-feira (24), Romário de Oliveira relembra de histórias de leitores envolvendo três celebridades que já apareceram nuas na Playboy : Vera Fischer, Deborah Secco e... Chiquinho Scarpa! Leia tudo abaixo:

Leia também: Bastidores de Playboy: 15 curiosidades sobre ensaios históricos da revista

Os seios de Vera Fischer, a perereca de Deborah Secco e o bundão do Chiquinho Scarpa

“Se você tem sugestões, críticas, dúvidas, consultas, você também já tem um canal direto para conversar com Playboy . Telefone e fale com Romário de Oliveira. Ele estará sempre às suas ordens para ouvi-lo e ajudá-lo. Porque você é quem manda em Playboy .” Eis o anúncio intitulado “Linha Direta com Playboy ”, publicado durante anos, criando uma ponte entre os leitores e a redação da revista. E o melhor: eles ligavam de qualquer parte do Brasil sem gastar um tostão. Ironia do destino? Eu, que todo mês ligava para a redação da revista com dúvidas, elogios, críticas, sugestões e reclamações, estava ali, como Redator Correspondente, fazendo o atendimento ao leitor. “Não esqueça: quem paga o seu salário são os leitores”, frisava sempre Juca Kfouri, então diretor da revista. “Trate-os como gostava de ser tratado.” Eu tinha que me desdobrar para atender cada ligação... E o pior: precisava ter resposta ou solução para tudo, ou melhor, para quase tudo.

Vera Fischer foi capa da
Arquivo pessoal
Vera Fischer foi capa da "Playboy" no 7º aniversário da revista, em agosto de 1982

Às vezes não era tão fácil colocar um ponto final em um determinado assunto, como por exemplo, ter que ficar horas tentando convencer um leitor de que a “pintinha” que a atriz Vera Fischer tem nos seios está no lugar certo. Vou explicar: um assinante aprovou a inclusão da louraça na lista das mulheres inesquecíveis que posaram para a revista. Naquela matéria, republicamos uma das mesmas fotos editadas para o número de aniversário em agosto de1982, quando Vera representou Diana – a deusa dos bosques, das florestas e da caça – em um cenário romano. Acompanhe a nossa conversa: "Comparei as duas fotos e a ‘pintinha’ está em lugares diferentes", frisou o leitor. Devolvi: "Então... Para dar mais harmonia ao layout da revista, o diretor de arte colocou a foto invertida. Inverteu a foto, sabe?". Ele foi além. "Mas, vocês podem fazer isso?" Tentei mudar de assunto: "Quem o senhor gostaria de ver nua nas páginas da revista?" Ele não titubeou: "Calma, aí!!! Mas, afinal, a ‘pintinha’ que a Vera Fischer tem é no seio esquerdo ou no direito?". Horas depois eu estava ao lado da equipe de arte, analisando em qual dos seios a tal “pintinha” ficava.

Quem pensa que leitor de revista de mulheres nuas não presta atenção nos mínimos detalhes está enganado. Eu, por exemplo, nos meus bons tempos de colecionador, alertei a equipe de Playboy que haviam trocado um par de seios em um teste para o leitor identificar as suas donas através de uma foto legendada. Simples entender: os texto que davam as pistas foram invertidos. Seio de uma com a legenda da outra. Situações como essas eram no mínimo engraçadas.

Agosto de 1999. Agora tenho que driblar um garoto sonhador com cerca de 10 anos que ligava mensalmente querendo falar com a garota da capa: "Romário, chama a Deborah Secco aí, rápido! Aproveitei para ligar porque a minha mãe está no banho." Eu, claro, entrava no clima: "Que pena! A Deborah Secco também acabou de entrar no banho." E ele: "Puxa! Nunca acerto." Sei que jogava um balde d'água nele, mas era a melhor forma de encerrar o assunto. Mas ele sempre ia além. "Escuta, preciso tirar uma dúvida. Aquela perereca que aparece na foto 'brincando' com ela é de verdade?". Confirmo que sim. Ele continua insistindo: "Eu estou falando do sapinho". O leitor se referia a uma foto em que Deborah Secco está nua com uma espécie de rã sobre o corpo. "Nossa! Que nojo!!!!".

Leia também: Bastidores de Playboy: O dia em que Roberta Close tumultuou a redação da revista

Deborah Secco foi capa da
Arquivo pessoal
Deborah Secco foi capa da "Playboy" na edição do 22º aniversário da revista, em agosto de 1999

Esses leitores... Horas depois, tenho que resolver o problema de um leitor carioca: ele entrou em contato para comentar sobre a revista do mês, e aproveitou para fazer críticas sobre uma edição especial que comprou em uma banca de números atrasados. "Sabe aquela edição em que os fotógrafos apresentam suas modelos maravilhosas, e ensinam truques da fotografia?". Rapidamente, respondi. "Claro! Como eu poderia esquecer deste super álbum com dicas de J.R. Duran e mais 14 craques da fotografia? Sem falar nos ensaios com a Nani Venâncio, Isadora Ribeiro e outras" Ele prosseguiu: "Pois é. Mas as 'manchetes' que estão na capa são pura enganação!", devolve o homem com forte sotaque carioca.  "Como propaganda enganosa se o próprio nome já diz tudo: os fotógrafos e suas modelos maravilhosas?", tento explicar e entender os motivos que o levaram a achar que as chamadas de capa não condiziam com o conteúdo da revista. Ele explicou: "A revista está um tesão até chegar nas últimas páginas, onde eu tive o desprazer de ver o tal do Chiquinho Scarpa nu, com a bunda de fora".

Entendi. Tratava-se de uma foto “simulada” para a seção Click (flagras indiscretos da fama), uma brincadeira em que a atriz Matilde Mastrangi de lingerie, na cama, recebia no seu programa de entrevistas o playboy Chiquinho Scarpa, que realmente aparece nas fotos de roupão e em uma das fotos com a bunda de fora. O leitor não quis saber. "Me poupe: se a própria Matilde Mastrange, que também aparece na foto, tapou os olhos para não ter aquela visão do inferno, porque o leitor é obrigado a olhar para aquele bundão?"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas