Tamanho do texto

Felipe Neto afirmou que o Wall Street Journal manipulou prints do Youtube em uma tentativa de demonizar a plataforma de vídeos do Google

Seth Kugel , o youtuber por trás do canal Amigo Gringo , publicou um vídeo acusando Felipe Neto, também youtuber, de ter feito um vídeo com mentiras sobre o Wall Street Journal . No vídeo, ele também critica a falta de ética do Youtube e diz que ficou bastante irritado com a dramaticidade protagonizada pelo digital influencer no vídeo intitulado "Vários youtubers vão falir se ficarmos calados".

Leia também: Thiago Lacerda critica projeto de Lei de Abuso de Autoridade e defende Lava Jato

Felipe Neto é acusado de espalhar mentiras sobre o Wall Street Journal
Reprodução/Youtube
Felipe Neto é acusado de espalhar mentiras sobre o Wall Street Journal

Em um vídeo publicado em seu canal, Seth afirma que essa é a primeira vez que usa seu canal para dar opinião sobre qualquer assunto. Ele, que é jornalista há 15 anos e trabalha como freelancer para o The New York Times , publicou o vídeo abaixo criticando Felipe Neto , com a seguinte descrição:

No dia 8 de abril, Felipe Neto criticou e insultou o jornal Wall Street Journal com acusações claramente falsas. (Era só dar um Google para saber.) Para mim, jornalista e Youtuber ao mesmo tempo, é hora dos Youtubers adotarem uma ética jornalística (ou pelo menos Youtubística) para apresentar um conteúdo mais responsável. Enquanto as mídias tradicionais precisam se adaptar às novas tecnologias, os Youtubers têm muito a aprender com as mídias tradicionais.

No vídeo de Felipe Neto, há a reprodução de um trecho do canal americano Drama Alert , onde o apresentador diz que os prints usados pelo Wall Street Journal para mostrar anúncios em vídeos com conteúdo de ódio são falsos. Com isso, o digital influencer afirma que os conteúdos foram manipulados digitalmente por meio de softwares de edição de imagem e que, dessa forma, o tablóide americano busca atingir a plataforma e todos os que se beneficiam dela.

Leia também: Donos da Playboy são acusados de assediarem sexualmente modelos

Seth, por sua vez, afirma que o Drama Alert  admitiu ter pego essas informações do h3h3 Productions , outro canal americano. Intrigado, decidiu checar a veracidade das informações apresentadas e descobriu que elas estão equivocadas. Contudo, o canal tirou o vídeo com as acusações falsas do ar no dia 2 de abril, ou seja, antes mesmo do Felipe Neto expor sua versão, que foi publicada somente no dia 8 de abril.

Por isso, o americano afirma que o digital influencer está divulgando informações que ele próprio sabe que estão erradas em seu vídeo, que permanece no ar e já conta com mais de 2,4 milhões de visualizações. Seth ainda ressalta que no dia 3 de abril, o próprio Wall Street Journal escreveu um release explicando a situação e afirmando que não há nenhuma montagem em sua matéria sobre publicidade no Youtube. 

Leia também: Aos 74 anos, Susana Vieira posta foto sem maquiagem e ganha elogio de fãs na web

Seth também conta que procurou Felipe Neto para dar sua versão da história, mas este não quis se manifestar. Ele também deixou o convite para que o digital influencer manifeste sua opinião nos comentários do vídeo - o que não aconteceu até o momento. Para Seth esse é apenas um exemplo da falta de ética que existe em alguns canais do Youtube por conta da liberdade editorial.

Número de inscritos

Felipe Neto é, atualmente, o dono de um dos maiores canais do Youtube brasileiro, após retomar o invetsimento em vídeos para a plataforma em 2016. A título de comparação, o canal de Felipe acabou de ultrapassar o canal 5incominutos, propriedade da Kéfera, com mais de 10 milhões e 380 mil assinantes. Ele também detém o título de canal com mais visuzaliações no país, atingindo a marca de 110 milhões de acessos todos os meses.

    Leia tudo sobre: Youtube
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.