Autora e influenciadora literária Aione Simões
Reprodução/Instagram - 12.07.2022
Autora e influenciadora literária Aione Simões


Aione Simões frequenta Bienais do Livro desde 2012, época em que já sonhava em ver um dos próprios livros nas prateleiras dos estandes. Dez anos depois, a escritora encara com uma “emoção gigantesca” a possibilidade de participar do evento como autora publicada por uma grande editora e ainda ter “Um Salto Para o Amor” entre as obras mais vendidas da Harper Collins.

Além do talento com as palavras nas histórias que cria, muito da repercussão dos livros publicados se deve ao trabalho como influenciadora no canal “Minha Vida Literária”. Em entrevista ao iG Gente durante a 26ª edição da Bienal do Livro de São Paulo, Aione relata alguns dos desafios de trabalhar com o universo dos livros nas redes sociais.


“Trabalhar com rede social é algo muito instável [...], mas é um desafio que faz parte da profissão”, diz Simões se referindo a um desabafo recente que fez com os seguidores. Na publicação, ela explicava a frustração com entregas de posts, retornos de conteúdos e “números despencando”.


No entanto, a influenciadora literária reforça que “sempre teve o pé no chão” em relação a tais inquietações do trabalho, em meio a constantes reflexões sobre algoritmos e pressões externas. Aione ainda comenta, entre risadas, que os “sete anos de terapia” a ajudaram a encarar cobranças com que se depara na área.

+ Entre no  canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre cultura, celebridades e mais!

“É necessário termos sempre limites daquilo que você vai fazer e expor. De até onde você pode ir e o que você quer fazer. Essa é uma das coisas que tenho questionado muito. Dependendo, para conseguir um determinado resultado, o que preciso fazer? Estou disposta a fazer isso? Se vou fazer, a que custo? Precisamos estabelecer os nossos limites e prioridades para não endoidecer nesse meio”, reflete.


Simões acredita que a paciência é algo essencial tanto para produtores de conteúdo literário quanto escritores. Ela também aconselha quem gostaria de atuar nesta área: “Primeiro, é preciso entender o que você está fazendo e porque está fazendo para poder ser fiel à própria voz. E para não se perder. Quando se sabe o propósito, é muito mais fácil permanecer alinhado e ter uma motivação para continuar”.

Além de “Um Salto Para o Amor”, Aione Simões também é autora do romance “Escrito nas Estrelas?” (2019) e dos contos “Vidas na Noite” (2018), “Então vem, dia dos Namorados! (2020)” e “A Filha Ideal (2020)”. Porém, antes de conseguir publicar os livros, a escritora relembra as dificuldades que ocorrem desde o processo de escrita até o relacionamento com editoras.


“Comecei a trabalhar com livros em 2011 e fui publicada por uma grande editora em 2021. As coisas levam tempo para acontecer [...] Ao enviar o livro para uma editora, muito provavelmente você vai receber um não, dificilmente as pessoas são publicadas logo de cara. Às vezes, receber um não em nada tem a ver com a qualidade do trabalho, mas com o mercado e muitos fatores envolvidos. Então é preciso ter paciência para entender que existe um momento certo para tudo”, observa.

Além de descrever a participação na Bienal do Livro de São Paulo como a “realização de um sonho”, Aione ainda analisa que o evento teve um aspecto incentivador neste momento da própria carreira. “Antes de vir para Bienal, confesso que estava bem desanimada com meu lado profissional. Ainda estou avaliando muitos dos meus caminhos e do que fazer”, pontua.


“Porque, de fato, a dificuldade está aí e não tem como a gente ficar só pensando que existe uma dificuldade de não fazer nada a respeito. Então a Bienal também é ótima para dar um pouco de gás e energia. Para mostrar que ainda existem possibilidades, impacto verdadeiro e que o trabalho é valorizado. E, às vezes, só o que o algoritmo mostra ali não é tudo”, reconhece.

+ Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários