Desfile de Carnaval da campeã Grande Rio
Reprodução/Globoplay - 01.05.2022
Desfile de Carnaval da campeã Grande Rio


Campeã justa e reconhecida pelas próprias adversárias, a Acadêmicos do Grande Rio encerrou com chave de ouro o carnaval que simbolizou a retomada da alegria para o povo do Rio de Janeiro. Após dois adiamentos devido à pandemia, o maior espetáculo da terra encerrou sua edição 2022 com uma exaltação à fé e a Exu, o orixá enredo da escola de Duque de Caxias, que valeu a conquista inédita da taça. E ainda proporcionou ao patrono Jayder Soares, que compareceu de fraque e cartola à Marquês de Sapucaí, finalmente pisar na Avenida como campeão do carnaval após mais de 30 anos de espera.

+ Entre no  canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

- Finalmente. Demorou um pouco mais do que eu imaginava, mas eu entro hoje como campeão. E pode esperar que este foi apenas o primeiro, vem muito mais por aí - disse o presidente de honra da agremiação, que confirmou a intenção de fazer o enredo de 2023 sobre Zeca Pagodinho. - É meu amigo e quero muito homenageá-lo. É uma dívida do Carnaval colocar a vida do Zeca na Marquês de Sapucaí. Estamos em conversas, sei que esta semana tem uma reunião.


Na Avenida, a atual campeã foi saudada do início ao fim em sua passagem. Mais uma vez, a comissão de frente levou o público ao delírio, com destaque para Demerson D'alvaro, que interpretou o Exu em uma performance que lhe valeu o Estandarte de Ouro de destaque do carnaval no voto popular. Ovacionado e sem a obrigação técnica do desfile de competição, ele interagiu mais com o público. Quem também brilhou na passagem da escola foi a rainha de bateria, Paolla Oliveira, confirmada para o ano que vem por Jayder Soares, e as ex-BBB's Camilla de Lucas e Pocah. Gil do Vigor desta vez não pôde comparecer ao desfile, por ter outros compromissos. No fim, uma multidão invadiu a pista, bem mais do que nos desfiles anteriores, e seguiu com a escola até a Praça da Apoteose.

Só que a tricolor da Baixada acabou se empolgando um pouco na sua comemoração de título e estourou o tempo limite para o desfile. Os portões foram fechados com 76 minutos, seis além do tempo máximo permitido. A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) estipula que, para atrasos de até cinco minutos, a multa é de R$ 45 mil. De seis a 15 minutos, o valor sobe para R$ 75 mil. Acima de 15 minutos, se paga R$ 120 mil. A Unidos de Vila Isabel, que ultrapassou o tempo em quatro minutos, também será multada.

Leia Também

Mais cedo, a noite das campeãs foi aberta pelo Salgueiro. A escola, que anunciou o acerto com o carnavalesco Edson Pereira, voltou à Marquês de Sapucaí com seu enredo sobre negritude e a cultura do povo negro. Viviane Araújo mais uma vez brilhou à frente da bateria Furiosa com sua fantasia de Cabocla Jurema. O samba-enredo, um dos mais populares da safra deste ano, mais uma vez foi cantado a plenos pulmões.

Em seguida foi a vez da Portela. A quinta colocada teve como destaque desta vez a porta-bandeira Lucinha Nobre, que desfilou em uma cadeira de rodas. A vencedora do Estandarte de Ouro 2022 sofreu um acidente na segunda noite de carnaval e quebrou um osso do pé, ficando impossibilitada de ficar de pé, mas não de sambar ao seu jeito, como a própria disse.

- Estou proibida de ficar de pé, então vou entrar sentada. O samba está na alma, então vou me soltar ao meu modo. Hoje é só alegria, vamos todos sambar - disse Lucinha, acompanhada do Mestre-Sala Marlon Lamar.

Terceira escola da noite, a Vila Isabel demorou a entrar na avenida devido ao aquecimento. Mesmo com o tempo de desfile já correndo, os intérpretes cantaram uma sequência de sucessos de Martinho da Vila, empolgando o público, é verdade, mas atrasando o desfile, o que levou a escola a cruzar a linha de chegada aos 74 minutos, quatro além do permitido.

Sem a pressa da semana passada, quando desfilou também em São Paulo, a rainha de bateria Sabrina Sato estava mais tranquila e mais uma vez brilhou na frente dos ritmistas. Martinho da Vila, por sua vez, saiu somente na comissão de frente e não encerrou o desfile, como feito anteriormente. Mas isso não impediu o bamba do samba de novamente ser exaltado por todo o público presente.

Quarta e quinta escolas, Viradouro e Beija-Flor entraram resilientes na Avenida. Mesmo tendo feito ambas desfiles exuberantes, as duas estavam satisfeitas com as colocações obtidas após a apuração e todos os integrantes fizeram questão de reconhecer os méritos da Grande Rio como a justa campeã deste ano. E sem a obrigação de obedecer aos critérios técnicos, ambas fizeram belos desfiles, levantando o público na Marquês de Sapucaí antes da entrada da escola de Duque de Caxias.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários