Nesta terça-feira (2), o movimento " Black Out Tuesday " tomou conta das redes sociais. A iniciativa é para as pessoas postarem uma foto preta em seus perfis e se manifestarem em apoio aos protestos que estão ocorrendo após a morte de Geroge Floyd, homem negro assassinado por um policial branco nos Estados Unidos . Além disso, as gravadoras de música também liberaram seus funcionários para irem aos protestos.

Artistas como o músico Nick Cannon aderem aos protestos
Reprodução/Instagram
Artistas e gravdores se unem aos protestos por George Floyd


Desde a morte de George, os protestos anti-racistas e contra à violência policial tomaram conta dos Estados Unidos.  Famosos foram às ruas se manifestar e começou uma iniciativa para as empresas permitirem que os funcionários não trabalhem hoje para poderem ir às manifestações. Essa ideia foi acatada por gigantes da área da música, como Capitol Records, Warner Music e muito mais.

A Columbia é um braço da Sony Music e cuida da carreira de artistas como Beyoncé. A gravadora foi uma das primeiras a aderir o movimento e escreveu nas redes sociais: "Esse não é um dia de folga. Na verdade, esse é um dia para refletir e pensar em maneiras para avançar na solidariedade. Nós continuamos a aopiar a comunidade negra, nossa equipe, artistas e colegas na indústria da música. Quem sabe se com a música desligada nós conseguimos verdadeiramente escutar".

Ver essa foto no Instagram

BLACK LIVES MATTER. #THESHOWMUSTBEPAUSED

Uma publicação compartilhada por Capitol Records (@capitolrecords) em

A Capitol Records, que tem artistas como Katy Perry e Sam Smith em seu time, também anunciou apoio o movimento. Além de pausar os trabalhos no dia de hoje, a gravadora também fará uma doação para uma organização que ajuda na luta contra o racismo.

A Warner Music e a Atlantic Records, um braço da empresa, aderiram ao movimento de pausar os negócios nesta terça-feira. "Nós vamos usar esse dia para refletir coletivamente no que nós como empresa podemos fazer para promover ações de mudança", além disso, a gravadora anunciou que também fará doações.

No Brasil, a Som Livre decidiu aderir ao movimento da maneira possível. A gravadora cancelou todos os anúncios e posts nas redes sociais hoje e postou e declarou apoio às causas anti-racistas.

O Spotify, um dos maiores streamings de música do mundo, também resolveu fazer algumas ações. A plataforma digital colocou uma foto preta na capa de algumas playlists e ainda acrescentou uma faixa de 8 minutos e 43 segundos em silêncio em algumas playlists e podcasts, em referência ao tempo em que o policial ficou ajoelhado sobre George Floyd.

Além das gravadoras e empresas do mundo da música, muitas celebridades aderiram ao movimento de postar fotos pretas nas redes sociais . A atriz Tessa Thompson, por exemplo, além de ir aos protestos compartilhou uma imagem preta. Veja abaixo outras celebridades que fizeram questão de se manifestar.


Ver essa foto no Instagram

“The Invisible Man” by Kerry James Marshall

Uma publicação compartilhada por Tessa Thompson (@tessamaethompson) em



Ver essa foto no Instagram

#BLACKOUTTUESDAY

Uma publicação compartilhada por I AM NOT JAY-Z (@jayz.co) em



    Veja Também

      Mostrar mais