O funk pode estar ajudando a conscientizar a população sobre as formas de se proteger do coronavírus. Marcelo Valentim, o MC Tchelinho , que integra o coletivo Heavy Baile, compôs um “batidão” dando orientações sobre higiene e a sobre a importância da quarentena para frear a pandemia do Covid-19.

Leia também: Os famosos que foram infectados pelo coronavírus

Mc Tchelinho arrow-options
Reprodução/Instagram/@mctchelinho
Mc Tchelinho


Leia também: Chitãozinho e Xororó vão cantar "Evidências" pela janela

“Corona tá na pista / eu vou ficar em casa / se liga aí os irmãos / e as minas da quebrada”, começa Tchelinho. “Devemos lavar a mão / álcool em gel é a parada / se espirrar tampa com o braço / e não põe na cara”, diz a letra do funk .

Leia também: Participante do "Big Brother" da Itália desiste do programa por familiar com corona

A música é feita no ritmo 150 BPM, um subgênero que nasceu nas favelas do Rio de Janeiro . “Ela é bem direcionada para o povo da favela, para o gueto, sei que estou falando direto com o meu povo”, disse o autor do funk em entrevista para a revista Veja Rio . “Quero ajudar a salvar vidas. cada um luta com as suas armas. A minha é essa”, finalizou.


    Veja Também

      Mostrar mais