Tamanho do texto

Sexta temporada da animação adulta chega à Netflix nesta sexta (25); cheia de obscuridade, produção é regada a conhecimentos para jovens adultos

Na sexta-feira (24) chegou à Netflix a sexta e última temporada de “Bojack Horseman”, animação adulta que aborda temas como depressão, alcoolismo, dependência química, irresponsabilidade emocional e outros tópicos frequentes na vida adulta. 

Leia também: Com Kéfera, Netflix aposta em público jovem no Brasil

cena de Bojack Horseman%2C da Netflix arrow-options
Divulgação
cena de Bojack Horseman, da Netflix

Em suma, a série da Netflix gira em torno de Bojack Horseman , um ex-astro de televisão que tenta lidar com suas dificuldades diárias, mas acaba impedido por seu maior obstáculo: ele mesmo. Ao longo das temporadas, com ou sem ajuda dos amigos, o personagem se vê em decadência e tenta sempre esquivar-se das responsabilidades. Apesar do tom obscuro, a produção é salpicada com pequenas doses homeopáticas de humor.

Leia também: Seguindo os passos da Netflix, Globoplay aposta em série sobrenatural

Em homenagem ao projeto, que está encerrando o último de seus ciclos, o iG Gente elaborou uma lista com cinco ensinamentos que se pode aprender com a série e seus personagens.

Nós fazemos nossas escolhas

cena de Bojack Horseman%2C da Netflix arrow-options
Divulgação
cena de Bojack Horseman, da Netflix

No episódio “Fuga de Los Angeles”, o protagonista se depara com um dilema comum: optar por uma felicidade longeva ou por um prazer momentâneo. Com medo de estragar tudo, ele, como quase sempre, entra em fuga rumo a lugar nenhum, provando que as escolhas são nossas, mas nem sempre escolhemos corretamente. 

Responsabilidade social é necessário

cena de Bojack Horseman%2C da Netflix arrow-options
Divulgação
cena de Bojack Horseman, da Netflix

Em “Demais, cara”, Bojack embarca em uma aventura regada a entorpecentes e vandalismo com sua ex-colega de elenco Sarah Lynn. Enquanto o ex-astro se satisfaz, ele acaba esquecendo que sua companheira tinha acabado de sair de uma reabilitação. A aventura custa ao personagem uma de suas maiores perdas, o que lhe faz refletir sobre sua influência sobre os outros. 

Mentir ajuda

cena de Bojack Horseman%2C da Netflix arrow-options
Divulgação
cena de Bojack Horseman, da Netflix

Em “Seu Estúpido de Merd*”, o protagonista depara com uma adolescente em estágio inicial de depressão. Questionado por ela se a voz na cabeça - que diz “você nunca será bom o suficiente” - some algum dia, ele responde que sim, demonstrando empatia pela mesma, mas sabendo que tudo é um processo e que nem sempre acaba bem. 

Fugir nem sempre é uma saída

cena de Bojack Horseman%2C da Netflix arrow-options
Divulgação
cena de Bojack Horseman, da Netflix

Em “Sucesso Estrondoso”, Bojack usa tantas químicas que acaba perdendo o discernimento do que é real ou fantasia. Cenas fortes de agressão fazem parte da história que, no final, chama atenção para o uso excessivo das drogas e ensina que nem sempre fugir da realidade é uma saída viável. 

Pensar em você não é egoísmo

cena de Bojack Horseman%2C da Netflix arrow-options
Divulgação/Netflix
"Bojack Horseman"

Leia também: “Arrow” e "Cara x Cara" estreiam na Netflix nesta semana

Princesa Caroline, agente de Bojack Horseman , sempre viveu mais para os outros do que para ela. Quando a gatuna passa a pensar em si, um sentimento de culpa a domina. Então é aí que ela descobre que se colocar em primeiro lugar nem sempre é egoísmo, e mesmo que seja, é necessário.