Tamanho do texto

Gary Glitter, que foi condenado por crime sexual, pode faturar muito

As polêmicas envolvendo o filme “Coringa”, estrelado por Joaquin Phoenix , não param. Depois de ser considerado violento e de estimular empatia por um assassino, o filme voltou a ser assunto por ter na trilha sonora a música de um pedófilo condenado pela justiça.

Leia também: Joaquin Phoenix vai de surpresa em sessão de "Coringa" e tenta reproduz risada

Cena de Coringa arrow-options
Divulgação/Warner
"Coringa" na cena em que a música é tocada


A música Rock and Roll Part 2 é de Gary Glitter, condenado por crime sexual, e toca por cerca de dois minutos em uma relevante cena do filme. [ Cuidado com spoiler ] A música embala a cena em que Arthur Fleck/ Coringa dança em um lance de escadas no final do longa.

Leia também: Em pânico, público abandona sessão de "Coringa" no Recife

Segundo informações da CNN , o que mais chamou atenção é que Gary, cujo nome verdadeiro é Paul Gadd, provavelmente está lucrando muito com o uso da sua música no filme. Isso porque, é preciso pagar dois tipos de direitos autorais ao usar uma música em uma produção como essa.

Um é pelos direitos de publicação (a composição real da música, como suas palavras e melodia) e a outra é pela gravação de som em estúdio (também conhecida como master ). Como Gary é co-autor da música, ele provavelmente possui uma boa porcentagem de direitos autorais . O mestre normalmente é de propriedade da gravadora, mas pode ser que seja revertido ao cantor.

Leia também: "Coringa" estreia quebrando recorde nos Estados Unidos

Em alguns países, os cinemas também pagam royalties pela música usada nos filmes e, como “ Coringa ” já foi lançado internacionalmente, Gary também ganhará dinheiro dessa maneira. Além disso, ele também receberá quando o filme começar a ser exibido na televisão.